Início » Brasil Telecom » TIM anuncia banda larga por fibra ótica no Rio e São Paulo

TIM anuncia banda larga por fibra ótica no Rio e São Paulo

Conexão de 50 Mbps ou 100 Mbps tem investimento inicial de R$ 500.

Por
7 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

RIO DE JANEIRO — Em evento para a imprensa e acionistas, a TIM revelou seu próximo investimento. Por meio de uma nova empresa chamada TIM Fiber, a operadora italiana irá ofertar serviços de banda larga fixa nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo a partir de julho do ano que vem.

Inicialmente, a operadora irá vender duas velocidades: 50 Mbps e 100 Mbps. Toda essa velocidade chegará nas casas dos clientes por meio de uma rede de fibra ótica, que chegará até o poste ou o prédio. A partir de então, entram em conjunto com a rede de cobre pré-existente na residência, por meio de um conversor VDSL. Os exigentes que optarem pelas velocidades maiores receberão a fibra diretamente em suas casas.

Luca Luciani, CEO da TIM e Rogério Takayanagi, CEO da TIM Fiber

A rede de fibra ótica da TIM Fiber percorre praticamente toda a cidade de São Paulo e do Rio de Janeiro, bem como algumas cidades nas redondezas. Isso se deve ao fato da compra da AES Atimus pela TIM em julho desse ano, que adicionou para a operadora uma malha de 5.500 km de fibra ótica nas duas capitais.

A aposta da TIM é conquistar os clientes das operadoras concessionárias (Oi e Telefônica), que, devido à distância entre a residência e a central, são impedidos de possuírem banda larga de mais de 2 Mbps. O investimento para cada cliente é de aproximadamente R$ 500. Esse valor engloba todo o processo de instalação, desde a mão de obra até as caixas que deverão ser afixadas no poste.

A ambição é grande: a operadora planeja ser dona de 20% do mercado de banda larga em 4 anos de operação nas capitais. Para isso, irá trabalhar com dois seguimentos de mercado: “posso pagar, mas não tenho disponibilidade técnica” e “quero mas não posso adquirir”. Juntamente com a banda larga fixa, a operadora também irá criar uma rede de hotspots, a la Vex.

http://www.youtube.com/watch?v=69vuni3sN3U
(Vídeo do YouTube)

Entretanto, preços e planos não foram divulgados. Rogério Takayanagi, CEO da empresa TIM Fiber, afirmou que as ofertas serão similares as da concorrência, exceto na forma de cobrança: não será necessário possuir um telefone fixo para adquirir a banda larga. A operadora não aposta em convergência nos dois serviços, por possuir um plano pré-pago com tarifas mais baratas que as de um telefone fixo.

Na apresentação, havia um modelo de casa conectada. Um computador ligado ao serviço estava disponível para testes, e consegui 45 Mbps de download e 30 Mbps de upload. Pude conversar com Takayanagi, e ele me afirmou que o upload deve permanecer na entre 10 e 15 Mbps.

HSPA+

A TIM também aproveitou o evento para anunciar seus projetos em HSPA+. A operadora irá operar com a tecnologia em três portadoras e em três setores para cada site, o que possibilita um total de até 378 Mbps teóricos para cada antena. Esse link será provido por meio das redes TIM Fiber e Intelig, importantes para retirar o gargalo previamente conhecido: só para efeito de comparação, cada antena possuía apenas 8 Mbps.

Ao contrário da Vivo, não haverá planos específicos para o acesso à internet por meio dessa tecnologia. Clientes poderão navegar na rede HSPA+ sem a necessidade de trocar seus pacotes de dados.

Takayanagi fez questão de destacar que a implementação da infraestrutura da Intelig e da TIM Fiber é fundamental para a expansão da rede móvel: os sites que estão recebendo os upgrades estarão aptos em LTE, com velocidade de até 300 Mbps para cada cliente. “Agora, a TIM tem essa capacidade”, garantiu.

Tecnoblog viajou ao Rio de Janeiro a convite da TIM.

Mais sobre: , , , ,