Início » Ciência » Cientistas criam técnica que vai permitir aprender à la Matrix

Cientistas criam técnica que vai permitir aprender à la Matrix

Avatar Por

Como um fã de Matrix, dos irmãos Wachowski, eu sempre fui fascinado pelo mundo retratado no filme. Tirando, claro, a aniquilação eminente da humanidade, a tecnologia mostrada em Matrix sempre me deixou boquiaberto e querendo que o futuro chegasse logo. Se depender de cientistas americanos e japoneses, tal futuro está mais perto do que imaginávamos: eles conseguiram criar uma técnica que vai permitir aprender ao estilo Matrix.

Para os jovens leitores que ainda não viram o filme, eis um spoiler que é demonstrado no vídeo abaixo: no mundo de Matrix as pessoas aprendem coisas por meio de download de informações diretamente no cérebro. Felizmente a técnica criada pelo grupo de cientistas da Universidade de Boston, nos EUA, e da Universidade de Kyoto, no Japão, não exige fincar um pedaço de metal na massa cinzenta.


(Vídeo no YouTube)

Em uma tradução livre, a técnica se chama "Aprendizado Perceptual Induzido por Neurofeedback de um fMRI Decodificado Sem Apresentação de Estímulo". Ou APINFDSAE, se você quiser usar a sigla traduzida que eu acabei de inventar.

O artigo que descreve essa técnica foi publicado na revista Science da semana passada e basicamente usa uma máquina de ressonância magnética para estimular a criação de padrões já pré-conhecidos dentro do cérebro. Seria possível, por exemplo, gravar um padrão de alguém que é bom em natação e implantar esse padrão em outras pessoas que não saibam nadar, fazendo com que elas aprendessem essa útil habilidade.

Com a criação da técnica, no entanto, veio um dilema: como ela permite implantar esse tipo de padrão sem a necessidade de um estímulo visual, poderíamos em teoria implantar padrões em cérebros de pessoas sem que elas soubessem. Por isso os cientistas estão cautelosos com o desenvolvimento dessa técnica, para impedir que elas caiam nas mãos erradas e sejam usados com fins menos do que legítimos.

Para ser sincero, acho que a questão da ética é um ponto interessante e que deve ser debatido. Mas quero saber mesmo é onde me voluntário para ser cobaia desse experimento.

Com informações: iO9.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Miqueias Silva

Errado, isso não ocorre com as palavras "copo e abóbora"...rs...

Miqueias Silva
Errado, isso não ocorre com as palavras "copo e abóbora"...rs...
@yorrany
Imagina a pirataria de informação? Torrents de Conhecimento.. kkkk
@Charlezine
Galera, não precisam publicar este comentário se não quiserem.. No primeiro parágrafo, tem: "..aniquilação EMINENTE da humanidade.." O certo seria "iminente", pois "eminente" se refere a alguém importante, superior e tal.. Já "iminente", significa algo que está prestes a acontecer. Achei show de bola o post! Sucesso aí..
Tio Z
Entendo o seu ponto de vista e até entendo o seu raciocínio, porem acho que falta informações na matéria para uma análise mais profunda do assunto. Sim, concordo que isso nem de longe retira a necessidade da prática ou treino do que quer que seja que você tenha "baixado" para o seu cérebro. Talvez por outro lado, não, você consiga até fazer algumas proezas, porem com altos custos para o seu corpo. Exemplo: se você aprende como correr muito eficientemente pegando o padrão de movimentos, de memória muscular que o Bolt tem, não quer dizer que seus músculos estão prontos para essa carga toda. Prevejo ai uma fatalidade com as suas pernas em um futuro próximo. Por outro lado, faculdades mentais poderiam ser facilitadas ou de vez ferradas. Você da o exemplo de uma aula de cálculo. Se você consegue "baixar" o padrão de um matemático que já ganhou o nobel e afins, rolaria algo como uma resposta instintiva sobre o assunto. Não digo que você em si já conseguiria criar teorias revolucionárias, mas com certeza de alguma forma (que talvez nem você entenda) consiga resolver um problema apresentado. E ai que mora o perigo. Com isso ou: A) Você consegue pavimentar o caminho para um aprendizado mais fácil e rápido ou B) Você não consegue acompanhar o que você "sabe" e com isso retarda ou trava de vez seu aprendizado no assunto. Já dizia o sábio: Conhecimento sem experiência é ser incompleto como ser humano.
gustafsson
"caiam nas mãos erradas e sejam usados com fins menos do que legítimos." Cara. A técnica foi pesquisada por influencia de historias de ficção cientifica e cyberpunk. Assim como varias outras pesquisas. Quem já leu qqr coisa de cyberpunk sabe que COM CERTEZA isso será usado para ferrar com a vida de muita gente. Provavelmente começara sendo usada assim e será usada na maioria das vezes pra isso por CIAs, KGBs e MI6s da vida. Torturar um cara pra obter informações. Implantar memórias de arrependimento. De sentimento de que cometeu crimes horriveis. Implantar memorias que dao vontade de se entregar. Etc Etc.
amg22
Bota os politicos de Brasilia como cobaia, já que eles não aprenderam na escola, a não roubar vamos colocar isso na cabeça deles na marra! E se não der certo o experimento, e alguém morrer, juro que não vai fazer falta a humanidade!!!!
ziguiberto
Uma coisa é certa: antes de p e b só se escreve m.
@thomazmaia
"Para os jovens leitores que ainda não viram o filme" UAT????
Emmanuel Fotógrafo
Discordo. Em Johnny Mnemonic ele (Neo?!) baixa um banco de dados de 320 Gb no cérebro... sendo que só pode carregar 160. "Overclock" de bando de dados!!!
@tonismar
O filme "Passageiro do Futuro" de 1992: http://www.youtube.com/watch?v=YCxFGxqLsHE já tratava algo bem mais realístico relacionado a esta técnica. Vale a pena conferir.
@pqpzao
mas aí é só usar o capacete do magneto.
Kowalski
Nem da habilidade de fazer sexo... :P
xrenan
Você andando tranquilamente na rua, e alguém te aponta um dispositivo de mão e transmite: drop database cerebro; Pronto. Você é um vegetal.
Yangm
E já não controla?
Exibir mais comentários