Início » Jogos » Retrospectiva: os jogos mais bacanas de 2011 (Parte 1)

Retrospectiva: os jogos mais bacanas de 2011 (Parte 1)

Teve de tudo. 2011 foi verdadeiramente um ano bom para os amantes dos games.

Por
8 anos atrás

Esse ano foi bem recheado de novidades pro gamer comum. Para os aficionados que querem jogar tudo de bom que saiu esse ano, ainda vai levar umas semanas pra conseguir acompanhar tudo. Isso, claro, considerando que a vida social e o sono estão em dia.

Então abaixo seguem os destaques entre aquilo que de mais importante aconteceu no ano que está acabando.

Três: número do sucesso

Na numerologia o número três não fala nada de sucesso, mas nos games foi um número ligado a produções bem sucedidas, com direito a recordes de vendas, prateleiras vazias e milhares de horas de jogo. O três também foi um número associado a tiroteios e sangue. Os três principais lançamentos com três no nome foram Call of Duty Modern Warfare 3, Battlefield 3 e Gears of War 3.

Na verdade um outro jogo entra na "lista dos 3" que foi Uncharted 3: Drake's Deception.

Claro que toda regra tem sua exceção. Se teve um lançamento com três no nome que foi um fiasco total no começo, esse foi o lançamento do Nintendo 3DS. Depois de um corte nos preços, o portátil da Big N começou a engatar e marcou o início de uma nova geração no mundo dos games.

Deus Ex: Human Revolution também foi outro grande lançamento de FPS do ano que curiosamente é o terceito título da série.

Dois games de explodir a cabeça

Merecem ser citados porque se destacaram: são diferentes de tudo que já foi visto antes. Ou melhor: elevaram a um novo patamar o que já mostraram em sua primeira versão e só voltaram pra deixar fãs ainda mais surpresos. Curiosamente ambos têm “dois” no nome.

Little Big Planet 2 explorou mais a fundo as possibilidades de jogabilidade e apresentou um editor de fases muito mais poderoso, permitindo a criação de verdadeiras obras primas por parte dos jogadores.

Portal 2 levou o humor negro e o “pense com portais” bem longe. Com uma história divertida, surpreendente e original. O primeiro jogo era demasiadamente curto, já o segundo trás além de uma campanha solo muito grande, diversas fases em modo cooperativo. Se pensar com um par de portais é difícil, imagina com dois? Pelo menos são duas cabeças pensando.

O autor do texto ia falar sobre The Elder Scrolls V: Skyrim. O RPG épico, ganhador do prêmio de Jogo do Ano. Mas, ele levou uma flechada no joelho e por isso só colocamos essa imagem ilustrativa.

Um sucesso e um fracasso: Team Bondi

A Team Bondi, um estúdio australiano, lançou esse ano LA Noire, um game com conceito totalmente diferente: investigação criminal nos anos 40, altamente inspirado nos filmes noir. Com gráficos realistas e uma jogabilidade totalmente inédita, o jogo foi um sucesso de vendas e de críticas.

O que seria um início brilhante pro estúdio de Brendan McNamara, foi na verdade seu primeiro e último título. Logo após o lançamento começaram a surgir boatos de diversas práticas ilegais realizadas pela Team Bondi. Jornada de trabalho de 12 horas, demissão de funcionários, não inclusão de nomes de funcionários nos créditos, salários atrasados foram algumas das principais queixas de vários empregados do estúdio. No fim das contas, o estúdio acabou declarando falência, mesmo com o sucesso de vendas que foi LA Noire.

Killzone 3: a prova de que 2012 ta chegando, mais outro FPS bombástico de 2011 que tem um 3 no nome. Coincidência?

Vem aí a nova geração

A nova geração (estamos começando a oitava) dos games começou com o lançamento do Nintendo 3DS e agora no fim do ano teve o PS Vita (devidamente testado na E3) entrando no time. Em junho também tivemos o anúncio do Wii U (também brinquei com ele), o primeiro console da nova geração, com gráficos de última geração e um controle que é um tablet leve.

Amanhã e volto com a segunda parte dessa breve retrospectiva com mais alguns games marcantes de 2011. Não perca.