Início » Brasil » Microsoft inaugura Technology Center no Brasil

Microsoft inaugura Technology Center no Brasil

Centro de tecnologia fica em São Paulo. Investimento total gira em torno de 10 milhões de dólares.

Por
8 anos atrás

Levy e o Xbox 360 com Kinect

Diversos Lumias rodando a versão mais recente do Windows Phone. Um tablet da Panasonic preparado para enfrentar qualquer tipo de adversidade. Televisor gigante para jogar Kinect sem perder um detalhe.

Quem chega ao Microsoft Technology Center, localizado à movimentada Avenida Nações Unidas, numa das maiores concentrações de empresas de São Paulo, dá de cara com essas pequenas maravilhas e muito mais.

O centro de tecnologia teve suas portas abertas nessa terça-feira com presença de Michel Levy, o presidente da Microsoft Brasil. Entre uma seção de perguntas e respostas com jornalistas e a demonstração do Kinect para este intrépido editor (veja a alegria do executivo na foto — ele diz que tem dois consoles em casa), Levy revela: o investimento total no Technology Center beira os 10 milhões de dólares ao longo de três anos.

A inauguração acontece hoje, o que não quer dizer que o centro não esteja operacional. Eu já tinha ouvido falar dele em dezembro, mês em que a Microsoft começou a testar tudo o que tem ali. Agora a recepção está pronta para receber parceiros, empresas e startups interessadas nas tecnologias da companhia.

Entre os objetivos do Technology Center está a exibição das tecnologias mais recentes desenvolvidas pela Microsoft para os principais interessados — os profissionais da indústria de tecnologia da informação (o famoso TI). O centro conta com 1.300 metros quadrados dispostos em ambientes de desenvolvimento e implementação, além de laboratórios e salas multitarefa.

Datacenter

Blue Man Group? Não, não

Para rodar as aplicações dos parceiros, o MTC oferece 700 terabytes de armazenamento de dados em um datacenter com 360 processadores. Para chegar nesse monstro de processamento a Microsoft teve apoio de parceiros reconhecidos no mercado (entre eles Intel, AMD, HP, Nokia, e EMC, entre outros).

O datacenter do Technology Center serve para testes apenas. Ele não roda as aplicações do Windows Azure ou do Office 365 comercialmente disponíveis, por exemplo. Até porque não faz sentido revelar a localização de um centro de processamento e armazenamento de dados, conforme manda a cartilha da boa segurança no cloud computing (cartilha que eu acabo de inventar, obviamente).

Mais: Conheça o super data center da Locaweb em São Paulo

Para startups e estudantes

Tenho uma boa notícia para os leitores do Tecnoblog interessados em testar sua aplicação no MTC. O centro de tecnologia está aberto para receber essas equipes. Só não adianta ir direto a ele, pois não é assim que a banda toca e há uma organização importante para que o fluxo se dê da melhor maneira possível.

De acordo com Fábio Souto, o diretor do MTC, as startups devem se vincular ao programa BizSpark, que já serve de incentivo para esse tipo de empresa. Hoje em dia há por volta de 2 mil startups participantes do programa e a ideia é ampliar esse número.

O pessoal da MS envolvido no BizSpark poderá determinar o momento em que uma startup está em ponto de bala para aproveitar os recursos do Technology Center.

Lounge do MTC

Não há restrição em que tipos de aplicações são aceitas no datacenter. Fábio foi bem claro quanto a isso: “Eu tenho a necessidade de reproduzir aqui a interoperabilidade e a diversidade do mercado”. Portanto, sim, aplicações de software livre estão livres no MTC.

Para estudantes o caminho é outro. Fábio recomenda que participem da Imagine Cup, a copa mundial de computação bancada e estimulada pela Microsoft. Já os consumidores serão atendidos pelos canais convencionais da MS, como o site, e possivelmente terão acesso ao MTC se demonstrarem esse interesse.

Fomento à inovação

A Microsoft e o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação também assinaram um protocolo de intenções para estimular a inovação no país. Por enquanto estão confirmadas incubadoras em São Paulo, Rio, Recife e Salvador. Mais duas cidades receberão esse incentivo, porém não foram anunciadas. Especificamente no Rio a Microsoft vai construir com parceiros uma central de startups no Porto Maravilha, complexo de prédios no porto do Rio que contam com o rico dinheirinho do Eike Batista.

Entre os focos da empresa para desenvolver empresas nos centros de inovação há o próprio TI e mobilidade, entre outros. A MS não revelou quais são as outras cidades a receber os centros, mas algo me faz crer que Porto Alegre, com o apelo crescente para startups, tem tudo para receber uma das unidades.