Início » Negócios » Kodak pede concordata nos Estados Unidos

Kodak pede concordata nos Estados Unidos

Citi concede empréstimo de US$ 950 milhões.

Por
6 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Sinônimo de fotografia, a Eastman Kodak Co. solicitou hoje proteção pelo dispositivo jurídico chamado de “Capítulo 11” nos Estados Unidos. Quer dizer, na prática, que a companhia não tem mais capacidade de honrar suas dívidas e pede proteção do governo para decretar a própria falência. Por trás da decisão estão anos de ladeira abaixo para uma empresa que existe desde o remoto ano de 1881.

A movimentação da Kodak já era esperada, conforme nós publicamos cá no Tecnoblog. As ações da companhia vinham se reduzindo drasticamente frente à incapacidade da empresa de mostrar competitividade na nova realidade do mercado de fotografias mundial — digital, como sabes. No momento em que escrevo esse artigo as ações da “EK” (sigla da companhia) registram queda de 35,10% na bolsa de valores de Nova York (NYSE).

O último lucro da Kodak foi registrado no longínquo ano de 2007. Desde lá a companhia não consegue ficar no azul novamente, chegando à situação calamitosa de dever US$ 6,75 bilhões na praça em setembro de 2011. Dá quase R$ 12 bilhões pela cotação do dólar de hoje.

Com a solicitação de proteção, a Kodak garante empréstimo de US$ 950 milhões concedidos pelo banco Citi para honrar os compromissos atuais. Conforme acontece em pedidos de concordata, a empresa agora vai atrás de reestruturação para atuar somente nos mercados em que é competitiva. Há 10 anos a Kodak tinha quase 64 mil funcionários. São 17 mil nos dias de hoje.

Em comunicado a Kodak afirma que a concordata solicitada vale para a controladora e para as subsidiárias nos Estados Unidos. “Subsidiárias fora dos EUA não estão sujeitas aos procedimentos e continuarão honrando todas as obrigações com fornecedores”, afirma a companhia.


(Vídeo do YouTube)

A Kodak diz que vai continuar operando normalmente e entregando o que foi prometido aos clientes. Junto ao Citi existe o prazo de 18 meses para que o aporte de quase US$ 1 bilhão seja concluído. Até lá a companhia espera ter recuperado a liquidez.

Entre os ativos que a Kodak planeja explorar estão mais de mil patentes. As disputas de propriedade intelectual (IP) que vira e mexe o Tecnoblog noticia evidenciam que a corrida pelo ouro das IPs segue a pleno vapor nos Estados Unidos. E tudo leva a crer que a Kodak vai ao menos tentar garantir o seu quinhão nessa história. Antes que seja tarde demais.

Com informações: Bloomberg, NasdaqReuters. Atualizado às 17h00.