Enquanto toda a cena de tablets revolve ao redor dos iPads e Androids, pouco se tem a dizer sobre os seus possíveis competidores, tanto para hardware quanto para OS. Ou eles já nascem mortos ou… não existem.

Sim, o WebOS foi uma das mais promissoras lendas a jamais vencer o status mitológico de incrível promessa, enquanto que o Playbook ainda serve como motivo de chacota em qualquer boteco geek que se preze.

Spark: primeiro tablet Linux com Plasma Active

O ICS também “roda” no HP Touchpad e quase ninguém riu dessa piada. Se bem que o Cyanogen está a um passo de também rodar no Playbook. O problema é que a RIM é muito mais orgulhosa que a HP para queimá-lo por U$S 99 Obamas. Então não chutemos cachorro morto, certo? — É o que dizem…

Enfim, o cenário é vasto e o combustível praticamente ilimitado para que a legião de Linuxers, heróis da resistência, possam pelejar e praguejar sobre o quanto todos os tablets ainda são imperfeitos.

No que depender de um sujeito chamado Aaron Seigo, desenvolvedor KDE, todo o mundo também poderá criticar um tablet legitimamente Freeta…, quero dizer, à boa e velha base de Linux.

Para ser mais específico, ele anunciou em seu blog há uns dias que o novo brinquedo roda em ambiente Plasma Active, uma versão mobile do KDE sensível ao toque e desenvolvida especialmente para tablets.

O nome do candidato? Spark, um tablet com tela capacitiva de 7″, CPU ARM de 1 GHz, 512 MB de RAM, 4 GB de armazenamento interno, com entrada para SD Card, conexão Wi-Fi e um preço inicial de U$S 262 (R$ 453). Se tem 3G? Não força…

Debaixo do capô, o Spark roda o Mer, um fork desenvolvido por cima do MeeGo, também beaseado no Linux. Segundo Seigo, tudo será open source e o usuário poderá instalar e fuçar o que quiser com o Spark. #joinha

O Plasma é um projeto que procurou fazer algumas modificações no esquema de navegação padrão do KDE 4.0. Tem recebido a sua cota de críticas, talvez shiitas demais e provavelmente porque tem sido explorado em projetos para tablets e smartphones, como os de Seigo, ou por aqueles que não admitem que o KDE seja usado com os dedos. 🙂

Por outro lado, tem recebido boa atenção por certas facilidades que, quando consideramos um Linux decente rodando dentro de um tablet relativamente barato, agradam. Não espere aquela beleza semi-deidade do iOS, nem tampouco toda a distribuição lógica e simplificada do Android.

Mas vale, ao menos, a pescoçada.

Abaixo, demo do ambiente shell Plasma Active:


(Vídeo do YouTube)

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rafael
Olá, Dizer que o Playbook é chacota, é no mínimo falta de interesse em conhecer o produto. Eu tenho um e posso dizer que é excelente. Ele roda um sistema Linux (sim, como o Spark) mas é um linux micro-kernel que deve ser implementado nos distros Debian a partir de 2013 em função das grandes vantagens de performance e segurança. Só ver no youtube como ele roda flash e sua capacidade de multi-task. Excelente hardware, software, só faltam mais apps que com a versão OS 2.0 para até o final de fevereiro deve resolver pois vai permitir rodar aplicativos de android no playbook. Chacota é essa sua colocação
Yangm
É bom ter um tablet que tenha a capacidade de rodar um SO de desktop por inúmeros motivos. Mas pegar um notebook, espremer ele e colocar uma tela touch não significa necessariamente que isso é um tablet. Finura e leveza mandaram um abraço.
Yangm
Inclusive temos que freiar o aquecimento global.
Yangm
Desative o fanboy mode (caso tenha ele instalado em seu sistema) e veja os artigos envolvendo android do tecnoblog. Ou então pesquise por "apple" no sistema de buscas e veja ela sendo citada em 90% dos posts do TB (seja ela sendo citada pelos tecnoloucos ou pelos tecnoleitores). Ai você irá conhecer o real significado de parcialidade.
Smess
Sem dúvidas... :P
7megas
acho o KDE melhor que o gnome por centralizar muita coisa em "configurações do sistema"...
Bitstorm
Eu voto para o Kubuntu virar padrão... eu tentei, mas o Unity não me convence! =/
@LBKatan
Queria o oficial, moço. =/ Não posso? ='(
Victor
Tente desabilitar as inutilidades que eu citei.
bawlaw
tambem gosto do KDE ja usei ele por um boom tempo.. tanto em casa quanto na empresa. porem.. como vivia ocorrendo diversos pequenos erros e travamentos, além de ser mais pesado do que o gnome. Resolvi voltar ao gnome e sou um usuario feliz agora :D mas toda versao do KDE que é lançada eu tento rodar ainda para ver se algum dia consigo voltar :D
@AntonioVeras
Sempre gostei e nunca esqueci de Krull. É um excelente filme.
krulll
se voces querem um telefone com ubuntu, comprem um HTC HD2 e bootem uma iso ubuntu.
San Picciarelli
Sabe que eu QUASE escrevi estamente isso no texto? Cheers.
Scott
Tecnoblog. Eles não precisam ser imparciais. (mas tenho que considerar que o San não tem um histórico bom em outros sites, tipo aquele da meia unidade de medida...)
@LBKatan
Eu quero meu uPhone (Ubuntu =D )
Exibir mais comentários