Início » Brasil » Ministro promete: smartphones vão ficar mais baratos

Ministro promete: smartphones vão ficar mais baratos

Paulo Bernardo confirma incentivos fiscais da MP do Bem para "breve".

Lucas Braga Por
8 anos atrás

Da Campus Party, São Paulo — O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que o governo vai incluir smartphones na MP do Bem durante uma entrevista coletiva com jornalistas. O que isso significa? Redução nos impostos para os celulares inteligentes.

Paulo Bernardo destaca que os smartphones são importantes instrumentos para a inclusão digital. "Os smartphones são um excelentes para ajudar na inclusão digital. Com um aparelho desses, é possível acessar os principais meios de comunicação, assim como acessar serviços governamentais de primeira necessidade."

Presidente da Telefônica/Vivo e ministro Paulo Bernardo em coletiva

Entretanto, seguindo na direção contrária, o ministro afirma que o serviço de internet móvel deverá ter seu preço elevado em pouco tempo. Isso se deve às condições para a entrada no mercado brasileiro de internet LTE. Para as operadoras iniciarem suas operações nas redes 4G primeiro devem atingir metas dos serviços já comercializados, e, dentre eles,  cobertura do serviço 3G. Com isso, o custo de operação aumentará, e consequentemente a internet móvel também pesará mais no bolso do consumidor.

O ministro diz que o incentivo fiscal dos smartphones era algo esperado para o ano passado. Por medidas burocráticas a medida foi postergada para 2011. Datas de quando os incentivos se tornarão realidade não foram divulgadas. Por enquanto, ficamos apenas com um "em breve".

Metas de qualidade da Oi

Se você não lembra, a Oi enviou um pedido para a Anatel pedindo a anulação de várias metas de qualidade da banda larga móvel e fixa. Pelo menos do ministro das Comunicações já temos uma vitória: Paulo Bernardo defende, com suas próprias palavras, que "o posicionamento da Oi é um equívoco completo".

O ministro ainda diz que as operadoras precisam fazer investimentos, da mesma forma que o governo precisa fazer sua parte. Nesse caso, creio que podemos considerar que tanto as operadoras como o governo não estão fazendo suas partes de maneira adequada. Certo?