Início » Legislação » ECAD não vai mais cobrar de blogueiros por vídeos no YouTube

ECAD não vai mais cobrar de blogueiros por vídeos no YouTube

Órgão volta atrás depois de comunicado emitido pelo Google Brasil.

Por

Chegou a vez do ECAD se manifestar. Depois do comunicado emitido pelo Google na sexta-feira (09/03), ficaria feio para o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição se não respondesse alguns pontos levantados pelo proprietário do YouTube. Em resumo, o ECAD diz que não vai mais cobrar dos donos de sites que adicionam vídeos hospedados pelo YouTube em suas páginas.

Pelo menos não vai cobrar sem antes falar com o Google Brasil. O ECAD explica que a carta de intenções firmada com o gigante da web prevê a possibilidade de o escritório “fazer a cobrança das músicas constantes de vídeos embedados, desde que notifique previamente o Google/YouTube”. Entretanto, o ECAD diz que esse não é “nem jamais foi” o foco de suas recentes ações que incluíram a tentativa de cobrar blogueiros pela adição de vídeos do YouTube.

Para o ECAD, a maior parte do que eles chamam de reprodução por simulcasting (transmissão para web de conteúdo presente originalmente em outra mídia) e webcasting (transmissão para web) é feita por pessoas jurídicas e que o caso noticiado pela mídia especializada se trata de um erro de interpretação e representa um “fato isolado” na atividade de cobrança por direitos autorais em músicas.

O escritório afirma que, desde 29 de fevereiro, vem revisando as cobranças por meio de webcasting e que o caso noticiado é anterior a essa data. Finalizam dizendo que o propósito do ECAD é remunerar os 536 mil artistas que são representados pelo órgão.

Por trás do discurso amistoso do ECAD dá para detectar dois pontos interessantes. O primeiro deles: não há um acordo ou contrato entre Google Brasil e o escritório, conforme a empresa de internet disse na sexta-feira. Há diferença entre um contrato e um carta de intenções que, até onde sei, tornaria tudo mais flexível. O segundo é que, desde que com notificação prévia, o órgão pode sim cobrar de blogueiros (ou diz que pode).

O comunicado do ECAD foi emitido no sábado, dia 10 de março.

E já que pode embedar vídeo, vamos cantar!


(Vídeo do YouTube)

“Bom estar contigo na televisão…” E no podcast. E no YouTube. E no streaming. Tá, parei.