Há algum tempo eu brincava dizendo que o Google tinha tanto interesse em mostrar anúncios personalizados que não estranharia se ele ouvisse nossas ligações e, no meio delas, soltasse uma propaganda em áudio (o The Onion mostrou como isso seria). Em um clássico momento da vida que imita a ficção, uma nova patente do Google publicada na terça-feira (20) promete fazer algo parecido: mostrar anúncios personalizados de acordo com o barulho de fundo em uma ligação.

O título da patente é literalmente esse, “anúncios baseados nas condições do ambiente”. Ele descreve um sistema que ouve os sons de fundo em uma ligação e, de acordo com esse ambiente, mostra os anúncios na tela do computador, no celular ou qualquer outra tela que estiver ligada a uma conta do Google.

Um bom exemplo de como isso pode ser usado foi dado pelo The Next Web: esse sistema pode ouvir um barulho de chuva ao fundo da ligação e, automaticamente, mostrar anúncios para guarda-chuvas no celular, depois que a chamada for terminada. E a patente também cobre um outro sistema, que mostra anúncios de acordo com fotos ou vídeos capturados pelo celular.

Soa bastante estranho ter o Google ouvindo suas conversas e vendo suas fotos para mostrar anúncios, mas como toda a tecnologia que está em fase de patente não há como prever qual o tipo de uso que poderá ser feito no futuro. Vai que ele é genuinamente útil?

Podemos apenas especular. E temer pelo resto da privacidade que ainda temos.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tweener_
Hahahahhaha :D
@LBKatan
Obrigado pela compreensão. =D
Tweener_
Sim senhor, o senhor é a lei e ordem por aqui, cabe a mim, mero leitor respeita-lo. ;)
@LBKatan
Bem, se eles vão ouvir os sons ambientes, eles VÃO ouvir o que estivermos falando. A questão é que eles só vão utilizar os sons que forem relacionados com o clima, pra apresentar anúncios relativos a isso, como falei em um comentário lá embaixo. Não tem nada relacionado às palavras que falamos, ainda. Não duvido que eles possam fazer isso, mas não é o que está na patente.
@LBKatan
Lembrando que não é só áudio, como também outros sensores que estejam próximos ao usuário. Mas, como está na patente, parece que é só condição climática.
@LBKatan
Por mais que eu esteja cagando para a ideia de robôs não apenas ouvindo, como também "sentindo" com outros sensores, como está o CLIMA, que foi o que eu entendi da notícia, baseado no texto do The Next Web e da patente em si, tem uma coisa que eu achei chata e, ainda, não vi nada que vá de encontro a isso: Você terminar a ligação e aparecer um anúncio. Tá certo que as nossas operadoras já fazem algo parecido, mas não é em todas as ligações. Vamos esperar pra ver como vai ser, SE eles fizerem algo do tipo.
@LBKatan
"Who watches the Watchmen?" =P
@LBKatan
Por mais que eu seja um cara que ama o amor, uma coisa é certa: não dá pra pensar em amor no mercado. A não ser no mercado do "amor" =P
@LBKatan
Isso não tem nada a ver com o post. Uma coisa são as patentes banais, de coisas que todo mundo usa e etc, que foi o que você postou. Outra coisa são patentes idiotas ou coisas com as quais você não concorda, que, aparentemente, foi seu alvo.
Marcelo
Me importo com as pessoas que me amam e que eu amo, o Google está ficando igual a Microsoft.
ricardo
Empresas consideradas inovadoras, como Google e Facebook, que são conhecidas por "revolucionar" o modo de ganhar dinheiro, na verdade têm seus negócios sustentados por apenas um pilar: anúncios. O que se vê agora é uma saturação dos espaços publicitários e o total desespero para tentar enfiar anúncios em todo lugar, porque esse é o único canal disponível para ampliar as receitas.
@leozacche
Entendi seu ponto de vista e concordo com a idéia. Parece que o que tá faltando é exatamente DETALHES. Por exemplo: A gente entendeu, pelo artigo, como a patente funciona tecnicamente. Mas ainda não sabemos como vai funcionar comercialmente. Explico: Não está claro se o Google vai se meter na sua ligação privada, feita do seu celular, registrado na sua operadora. Acho que não, nem tentariam fazer isso. Acho que essa patente deverá ser usada em um (futuro) serviço do Google de... ligações gratuitas. Ou seja, mesma coisa do GMail (não o Apps, ok?). Para usar o serviço gratuitamente, você concorda em receber propaganda. Pronto, é assim que funciona, são os termos dele. Aceite ou não use. MAS... você tem a opção de não deixar que sua privacidade seja invadida para tornar os anuncios mais relevantes. De qualquer forma, ainda vai continuar recebendo propaganda (nos cantinhos do GMail). Então, acho que esse futuro serviço de chamadas gratuitas da Google vão ser na mesma linha. Quer usar grátis? Ature a propaganda. E essa propaganda pode ser mais relevante (observando de forma automatica a sua conversa ou os ruídos de fundo) ou menos relevante (sem analisar isso).
Felipe
E daqui um tempo tbm não vai poder usar mais o telefone. E daqui um tempo não vai poder mais passar pela rua ( já que temos cada vez mais cameras nas ruas )..... e por ai vai. Privacidade? Acho que já estamos num caminho sem volta. A tendencia é tudo ser monitorado pelos governos e algumas empresas.
Tio Z
Antes fosse só o Google. Parece que quando o assunto é computador/internet, direitos voam pela janela. Todo contrato de software basicamente diz que qualquer pau que dê não é culpa do cara que fez nem você pode processar ele por qualquer problema sofrido. E todo contrato de serviço na internet em algum lugar diz que pega informações suas para fins de estudo e a maioria diz que pode acabar dividindo com os parceiros. Sei lá, é "padrão" e ninguem legisla contra.
Alex
Sinceramente acho o serviço do adsense de muito bom tamanho pela quantidade de serviços que o google oferece. A menos que a pessoa ache que eles te dão email, um serviço de busca gigantesco, acesso a mapas, transito , visualização de ruas , só porque gosta de você. Os anuncios la são discretos e em boa parte das vezes uteis. Muuito melhor do que a tv cortar seis vezes a série que tou assistindo pra passar 6 minutos de propagandas imbecis e repetidas. né warner ?
Exibir mais comentários