Idealizado em 2005 pelo pesquisador Richard Negroponte, o computador educacional OLPC XO-1 foi criado com a nobre intenção de levar a tal da revolução digital a salas de aula de países pobres ao redor do mundo. Mas, distribuído desde 2008 e com 2,5 milhões de unidades espalhadas em 42 países, ele parece não ter efeito revolucionário na educação dos locais em que está presente, pelo menos na opinião do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

De acordo com a instituição, o pequeno computador verde não melhorou o desempenho dos estudantes das escolas públicas do Peru, país que tem uma das educações mais deficientes do subcontinente (pois é…). No levantamento, foram pesquisados os resultados de alunos de 319 escolas do país. Os números mostram que o uso do OLPC não representou qualquer melhora nos índices de aprendizado de línguas ou matemática em relação às crianças que dispunham de uma educação “convencional”, com lousas tradicionais, lousas e giz.

OLPC

Além disso, os OLPC não representaram ganhos de atenção e aumento de tempo dedicado a tarefas escolares dentro ou fora de sala de aula. Mesmo carregados com 200 livros, também não aumentaram os índices de leitura: em média, cada criança leu apenas cinco livros em casa nos últimos 15 meses.

“Foi sugerido que o uso de computadores iria aumentar a motivação dos alunos, mas os resultados nos apontam em outra direção”, diz o relatório do Banco (.pdf).

Os resultados foram similares a levantamentos feitos por outras instituições a respeito do uso de computadores em sala de aula. Desde 2007 o estado norte-americano do Maine adotou a política de um laptop por aluno, e até agora os estudantes não apresentaram diferenças notáveis de desempenho.

A constatação mais notável dos levantamentos sobre o uso de computadores em sala de aula foi feita em 2010 pelo governo de um estado australiano, que constatou que ˜liderança é crucial” no uso de tecnologias em salas de aula.

Ou seja, para terem sucesso em sala de aula, alunos equipados com computadores precisam, olha só, de bons professores.

Com informações: The Verge e The Economist

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@LBKatan
E o pior, além de não saber, é o "não gostar". Ninguém gosta de ler, mas não faz a mínima ideia do que é isso. Se você perguntar, pra alguém que não gosta de ler, qual foi a última vez que tentou ler um livro, a resposta, depois de um tempo, será algo do tipo "não lembro".
@LBKatan
" Gabinete - Resistente a quedas, altura de 70cm (setenta centímetros) com equipamento desligado e fechado, permite utilizar em modo Tablet ou em modo PC..." Essa parte me confundiu um pouco. Fiquei pensando em como um netbook teria 70cm de altura desligado e fechado LOL Caneta presa por cordão? Nuss. E ele é bem feinho =P Mas eu tô aceitando qualquer coisa hehehehe
lucasdausacker
Esperavam melhorar o desempenho dos alunos com uma maquina que lembra o BEN-10?
Sybylla
Bons professores, capacitados e valorizados, além de cursos universitários de referência que possam capacitar novos professores e um plano de carreira que possa atrair novos profissionais. Pois o abismo educacional está aumentando e o país já conta com déficit de professores e pessoal capacitado.
#Recruta
Não adianta ter essa informação toda se os alunos não sabem sequer ler/escrever/interpretar ou escrever uma redação de poucas linhas com coerência... Esse é o nosso Bra$el... :(
@trovalds
Não só de bons professores, mas professores capazes. E outra: o computador é apenas mais uma ferramenta de aprendizado, junto com o bom e velho caderno, lápis, caneta e borracha. Bom é a insistência em alguns em dizer que sem inclusão digital muita gente vai ficar pra trás. Inclusão digital sem aprendizado eficiente = nada.
@silzinhaa
Como tudo o que já estão falando aqui, só queria complementar que o computador é o "meio" e não o conteúdo. É isso o que gera a educação e conhecimento. A ferramenta é importante, mas não é tudo!
Turdin
Claro que provavelmente o Bill Gates está num canto chorando a revolução dos OLPC com seu enorme sucesso como apontado em diversas pesquisas. Só que não.
Yangm
Pior são os pais que mandam os filhos por ser obrigatório, que quando jovens não tiveram cultura e hoje muito mal educam os filhos. Os professores precisam sambar nas salas de aula desse Brasil malandro que só quem é rico pode viver dignamente. Porém ganhar dinheiro aqui é muito difícil de se conseguir com dignidade.
Hugo
Também tem gente que vê conspirção em tudo.
@uill_son
E mais uma vez o Bill Gates pagou caro para fazer essa matéria. Acorda pessoal, claro que os OLPC são um instrumento revolucionário na educação. Porém, estão comendo uma fatia do mercado da Microsoft, Apple, Dell, IBM... enfim, todos os grandes multimilionários do mundo da computação. João Brunelli Moreno deve revisar esse conceito.
Amanda Clarck
Não adianta implementar netbooks, tablets, etc se o próprio aluno não sabe como administrar tanta informação.
#Recruta
Eu não sei o que é pior nessas situações: Se é o professor desestimulado com o salário, se são os alunos que não estão recebendo a devida criação das famílias ou o próprio governo não sabendo lidar com o seu povo que a cada geração que passa fica mais deficiente no sentido de aprender coisas que realmente valem a pena. Digo isso me baseando na ultima noticia que li, dando conta de que duas estudantes se matando dentro do pátio da escola por causa de um ~mlk zica~. Pra mim, a educação passa por dois estágios antes de chegar na escola: Educação e comportamento perante a sociedade que tem que ser ensinada desde os primeiros anos de vida e Consciência de que a escola ainda é a forma mais segura de se aprender qualquer coisa nesse mundo cheio de informação. E a maioria das crianças de hoje nem tem noção do que é prestar atenção na aula. (pardon pelo excesso de linhas neste comentário)
Marcos Oliveira
NICHOLAS Negroponte, não? http://pt.wikipedia.org/wiki/Nicholas_Negroponte
Cris
Computadores podem ser muito útil em uma sala de aula para crianças e jovens. Mas precisam ser usados junto com uma série de fatores, precisam ser tablets pra substituir todos os livros e todos os cadernos, precisam ter conexão com a internet. Softwares bons, professores treinados. As possibilidades são muito maiores, e isso sim aumentaria a aprendizagem. Jogar um monte de pequenos notebooks numa sala, sem internet e sem bons softwares, onde as pessoas ainda sejam obrigadas a usar cadernos e livros de papel. Fazer isso é só jogar dinheiro fora.
Exibir mais comentários