Início » Software » Microsoft inaugura divisão de projetos open source

Microsoft inaugura divisão de projetos open source

Por
6 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Há um bom tempo a Microsoft colabora com projetos de código aberto. Recentemente surgiram notícias de que a fabricante do Windows era uma das 20 maiores colaboradoras do kernel do Linux. Ontem (12/4) a empresa de Redmond deu um passo ainda maior para abraçar o software livre: criou uma subsidiária focada em padrões e produtos open source.

A divisão Microsoft Open Technologies surgiu a partir do time de estratégias de interoperabilidade da empresa e será liderada pelo executivo Jean Paoli, um dos criadores da linguagem XML e defensor do padrão OOXML, adotado desde o Office 2007. Os projetos open source serão tarefa diária de pelo menos 50 funcionários que trabalharão na subsidiária.

É o que parece.

A Microsoft sempre foi acusada pelos mais fanáticos de “atrapalhar o desenvolvimento dos projetos open source” e aos poucos está mudando essa imagem. Mas não pense que a equipe de Steve Ballmer vai abraçar de vez a ideia e abrir o código-fonte do Windows, incentivar o uso de produtos dos concorrentes ou alguma maluquice do tipo; a empresa está basicamente dando mais atenção ao que já fazia.

“Nós acreditamos que a subsidiária proporcionará um novo jeito de nos envolvermos com as comunidades open source, de uma forma mais clara […] servindo como ponte entre tecnologias Microsoft e não-Microsoft”, declara Paoli. Além de desenvolver a linguagem HTML5 e o protocolo HTTP 2.0, a Microsoft também possui planos para implementar as linguagens PHP e Java em sua plataforma de cloud computing, Windows Azure.

Talvez a maior barreira dessa divisão esteja no fato de que muitos projetos open source estão licenciados pela GPL, assim, softwares que utilizem essas tecnologias também precisam abrir seu código, o que não é exatamente uma boa estratégia para uma empresa que possui tantos aplicativos proprietários. Além disso, a Microsoft fatura alto com royalties pagos por fabricantes de smartphones Android, concorrente do Windows Phone.

Com informações: GeekWire.