Início » Celular » Samsung bate Nokia e se torna maior fabricante de celulares do mundo

Samsung bate Nokia e se torna maior fabricante de celulares do mundo

Avatar Por
8 anos atrás

A finlandesa Nokia perdeu o posto de maior fabricante de celulares do mundo. Liderando neste importante mercado há 14 anos, a companhia viu os números da concorrente coreana Samsung dispararem depois que os consumidores demonstraram enorme interesse nos variados dispositivos produzidos por esta última -- em especial a linha Galaxy.

De acordo com a agência de notícias financeiras Bloomberg, a Samsung distribuiu 93,5 milhões de unidades de celulares no primeiro trimestre deste ano, seguida da Nokia, com 82,7 milhões de unidades. Sim, a Nokia está pelo menos dez milhões de unidades atrás da número um -- situação que não ocorria desde que a Nokia ultrapassou a icônica Motorola, agora uma empresa pertencente ao Google, no distante ano de 1998.

Samsung Galaxy Note

Repare que eu utilizo "distribuiu" na redação deste artigo. Por "distribuir", entenda que o aparelho saiu dos estoques do fabricante e foi para o armazém da revenda parceira ou diretamente para o ponto de venda. A partir daí fica mais complicado dizer quantas unidades foram vendidas.

Entre os motivos que podemos especular para o novo cenário em dispositivos móveis, dou destaque para a dificuldade da Nokia em manter uma linha de produtos consistente com o que o mercado deseja. Eles têm aparelhos mais simples que atendem públicos de países pobres ou emergentes -- a plataforma S40 está aí, em 1,5 bilhão de aparelhos, para isso.

Porém, a Nokia vem enfrentando concorrentes vorazes no segmento de smartphones, os celulares inteligentes que viraram o sonho de consumo dos entrantes na classe média. Os Lumias rodando Windows Phone sofrem preconceito no mercado europeu. A informação foi dada pela agência de notícias Reuters. Já nos Estados Unidos, problemas no software do Lumia 900 logo após seu lançamento fizeram com que a família de produtos caísse em descrédito. Atualmente a Nokia afirma que os problemas foram solucionados com uma atualização de software.

A Samsung, por sua vez, investe pesado no sistema aberto Android, mantido pelo Google. Hoje em dia possui uma série de produtos baseados nessa plataforma, dentre os quais destacam-se o Galaxy SII (em vias de ser substituído por um novo modelo) e o Galaxy Nexus, dispositivo desenhado em parceria com o gigante das buscas. O Galaxy Note da foto acima fica no meio da caminho entre ser um smartphone ou tablet, devido ao seu visor grandioso (eu cheguei à conclusão de que ele é mais smartphone do que tablet no review publicado pelo Tecnoblog).

Também a Samsung tem parceria com a Microsoft, visto que o Omnia W está nas prateleiras como um smartphone acessível rodando Windows Phone. No entanto, deu para perceber em coletiva com jornalistas durante o evento da Samsung para América Latina, em Lima, Peru, que o WinPhone está sem segundo plano nos interesses da companhia.

O Tecnoblog tenta contato com a Samsung Brasil desde a semana passada, mas a companhia não respondeu nosso email pedindo que comentasse sobre os resultados específicos para o mercado nacional.