Arquivo Aplicativos e Software

Skype para Linux: morto ou apenas em coma?

Paulo Graveheart
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Comprado pela Microsoft no ano passado, o Skype tem liberado constantes atualizações para seus clientes do Windows, OS X e as variadas plataformas móveis. O Skype para Linux, no entanto, só recebeu uma pequena atualização em abril do ano passado e uma hoje, para corrigir uma falha. Nenhuma novidade que o deixa lado a lado com os seus irmãos de outros sistemas. O que acontece?

Ao comprar o Skype, a Microsoft assegurou a todos os usuários que continuaria “a investir e suportar clientes do Skype em plataformas que não são controladas pela empresa”. Exatamente um ano depois dessa declaração, uma comparação entre as atualizações do software para diferentes plataformas mostrou uma situação que não condiz com essa declaração.

No período de um ano, o Skype para Windows recebeu pelo menos 17 atualizações. No mesmo período, a versão para Linux recebeu apenas uma atualização em abril do ano passado (com melhorias na videochamada) e outras duas depois disso para correção de bugs, a última delas aliás foi hoje. Esquisito, não?

Usuários do programa questionaram a falta de atualizações no fórum de suporte do próprio Skype. A resposta dada pelo time de desenvolvimento deixa até mesmo aqueles que sempre vêm o copo meio cheio com a pulga atrás da orelha (tradução livre):

O desenvolvimento não parou. Nós ainda estamos trabalhando na próxima atualização, mas não podemos passar nem mesmo uma estimativa de data. Será liberado quando “estiver pronto”.

Ou, em português claro: o Skype para Linux ainda não morreu e continua nos projetos. Mas ele se encontra em um estado próximo do coma.

Com informações: OMG! Ubuntu

Paulo Graveheart

Ex-redator

Paulo Henrique "Graveheart" é formado em Ciências da Computação e fez parte da equipe do Tecnoblog entre 2010 e 2014, como redator. Participou da cobertura de lançamentos no mundo do desenvolvimento de software, PCs, mobile e games. Também tem experiência profissional como desenvolvedor full-stack e technical lead.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque