Arquivo Jogos

Maxploder: bombas em uma escavação arqueológica cheia de armadilhas

Trevis Bonifácio
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Eu poderia começar a coluna de hoje dizendo que esta era a segunda sexta-feira da semana, mas acho que ninguém merece uma coisa dessas. Vou direto ao ponto: o objetivo de Maxploder é resgatar alguns cientistas que ficaram presos em uma caverna recheada de armadilhas e monstros. Seria interessante se a vida também viesse com objetivos simples e claros assim, mesmo que eles não fossem fáceis de se alcançar. Corra, pule, solte bombas e salve os cientistas presos. Simples.

Utilize as setas para se movimentar. Para soltar bombas pressione espaço. Acostume-se o mais rápido possível com o tempo que demora para as bombas explodirem – é muito curto, solte uma bomba e se mova para não morrer. Bombas são importantes para duas coisas: explodir algumas paredes e matar inimigos.

[swfobj src=”https://tecnoblog.net/wp-content/uploads/2013/05/maxploder.swf” width=”600″ height=”450″]

Cada tela é um puzzle que exige destreza e raciocínio. Alguns desafios são simples, mas alguns são bastante complicados. Não precisa se preocupar com a quantidade de vezes que morrer, mas quanto mais demorar para resgatar todos os arqueologistas, menor vai ser sua pontuação no final.

Para conseguir um tempo bom, será necessário escolher quais áreas resolver primeiro, traçar os melhores caminhos e fazer o possível para não morrer muito. Evite fechar a janela do jogo, caso contrário será necessário iniciá-lo novamente. Sim, isso pode ser um pouco deprimente. É possível pausar com a tecla P e desligar o som com a tecla O.

Lembre-se de que estamos sempre abertos a sugestões e críticas – embora eu tenha quase certeza que ignoraremos as críticas, aceitaremos as sugestões de coração aberto. Por hoje é só, aproveite o final de semana e divirta-se por aí. 😉

Trevis Bonifácio

Ex-redator

Trevis Bonifácio é formado em Tecnologia da Informação e apaixonado por game design. Cobriu diversos lançamentos no mundo dos jogos entre 2011 e 2015, período em que fez parte da equipe do Tecnoblog. Atua hoje como desenvolvedor de jogos para diferentes plataformas como Windows, macOS, Android e iOS.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque