Arquivo Internet

Twitter vai utilizar ferramenta da Microsoft para encontrar pornografia infantil

Giovana Penatti
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

O cerco à pornografia infantil na web está se fechando cada vez mais. Hoje, os esforços vêm do Twitter, que vai implementar uma tecnologia criada pela Microsoft no site para rastrear mais facilmente conteúdo desse tipo e ajudar as autoridades na punição desses criminosos.

O software se chama PhotoDNA e reconhece imagens de um banco de dados por meio de cálculo de hash. Assim, mesmo que as fotos tenham sofrido alterações, elas continuam sendo identificadas por ele. O Facebook, por exemplo, já utiliza o PhotoDNA desde 2011.

Não há data certa para a implementação do software, mas, segundo o The Guardian, ele estará em uso até o fim de 2013 e irá rastrear tanto “pornografia extrema” quando a infantil.

Coincidentemente, hoje o Primeiro Ministro britânico David Cameron deve fazer um anúncio no qual explica seu próximo movimento para evitar as influências negativas da pornografia sobre as crianças: tornar a pornografia de todos os tipos “opcional” no Reino Unido. Isto é, será preciso desativar os filtros, que serão ativados por padrão, para ter acesso a esse conteúdo.

Parece um tanto quanto radical “banir” toda pornografia para que as crianças não a vejam e para combater a pornografia infantil. Mas é por uma boa causa: entre as medidas, o conteúdo pornográfico que for violento (por exemplo, simulações de estupro) será banido; será criada uma lista negra de termos de busca usados por pedófilos para encontrar esses criminosos; e a polícia trabalhará com um banco de dados de imagens desse tipo para ajudar a aprisioná-los.

Outro site que recentemente divulgou algo do tipo foi o Tumblr, que dificultou a busca por porn. Blogs com tema adulto foram banidos de mecanismos de pesquisa (sim, tipo o Google) e os que têm postagens NSFW ocasionais também têm algumas restrições nas buscas.

Com informações: The Verge

Giovana Penatti

Ex-editora

Giovana Penatti é jornalista formada pela Unesp e foi editora no Tecnoblog entre 2013 e 2014. Escreveu sobre inovação, produtos, crowdfunding e cobriu eventos nacionais e internacionais. Em 2009, foi vencedora do prêmio Rumos do Jornalismo Cultural, do Itaú. É especialista em marketing de conteúdo e comunicação corporativa.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque