Arquivo Aplicativos e Software

The Pirate Bay comemora 10 anos de vida e lança navegador PirateBrowser

Paulo Higa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

O The Pirate Bay já sofreu com ataques DDoS, quedas de energia e recebeu inúmeras ameaças de empresas nada felizes em verem seus softwares, filmes e músicas sendo distribuídos livremente. Mas sobreviveu: recentemente migrou os servidores para a nuvem para ficar mais difícil de ser derrubado e até lançou um documentário. Agora, eles lançaram um tal de PirateBrowser, navegador que quer acabar com a censura na internet.

piratebrowser

O indexador de torrents completou 10 anos de vida na sexta-feira, 9 de agosto, e disponibilizou gratuitamente o PirateBrowser. Trata-se de uma versão modificada do Firefox que traz algumas funcionalidades de fábrica para burlar bloqueios de provedores e sistemas de segurança governamentais que dificultam o acesso ao The Pirate Bay, como os existentes na China, Alemanha, Índia e países da Escandinávia.

Na prática, o PirateBrowser nada mais é do que o Firefox Portable configurado com o Vidalia, um cliente que acessa a rede Tor, desenvolvida para manter a navegação anônima – nela, os dados trafegam por várias máquinas antes de chegarem a você e ao servidor de destino, o que também dificulta a identificação de quem realmente acessou determinado site.

Você pode baixar o PirateBrowser na página oficial, inclusive por torrent. No momento, o navegador está disponível apenas para Windows. Mas como ele não é exatamente uma novidade, você pode obter praticamente as mesmas funcionalidades baixando o Tor Browser Bundle, que também possui versões para Linux e OS X.

Com informações: The Next Web, VentureBeat.

Paulo Higa

Editor-executivo

Paulo Higa é jornalista, com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. Trabalha no Tecnoblog desde 2012, viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. É coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque