Criador do Oculus Rift acredita que em breve teremos uma realidade virtual “nível Matrix”

Renata Persicheto
Por

Em entrevista ao site Eurogamer, Palmer Luckey, criador do promissor e semi-mágico Oculus Rift, disse que o periférico está apto a alcançar em breve um “nível Matrix” em termos de virtualidade aumentada: “A tecnologia [de realidade virtual] hoje ainda é muito crua, mas está avançando rapidamente. Eu acho que em poucos anos, talvez poucas décadas, dependendo de quão sortudos nós formos, nós estaremos aptos a conseguir um nível Matrix de realidade virtual.”

Será que dá para desviar de tiros nos games assim?

Será que dá para desviar de tiros nos games assim?

O headset, que até o momento se encontra em fase beta e está disponível apenas para desenvolvedores, suporta aplicativos e jogos baseados em Android. O fato do sistema operacional do Google ter sido o único aceito pelo aparelho foi explicado por Luckey: “Android não é necessariamente ‘a próxima plataforma’, é só onde estamos trabalhando por enquanto. A razão pela qual escolhemos o Android foi porque, bem, quais são as outras opções? Temos o iOS, em que nada pode penetrar seus sistemas, e o Windows Phone, onde não se encontra muita coisa. Nós adoraríamos dar suporte a eles, mas não há muito para onde olhar – nós sabemos que pode funcionar, mas a parte de negócios não está lá.”

Durante a Gamescom e o GDC Europe, a empresa anunciou o Oculus Share, uma plataforma que reúne os experimentos feitos até agora com o aparelho. Os jogos e aplicativos mostram as várias facetas para o uso do dispositivo, provando que ele não apenas servirá para jogos em primeira pessoa. Luckey mostrou o TelepaFIFA, em que o jogador controla os jogadores de futebol em campo do ponto de vista da arquibancada.

oculus

Na entrevista também foi falado sobre levar o aparelho aos consoles da próxima geração. Aparentemente, já existe uma conversa entre os desenvolvedores do Oculus Rift e as gigantes Sony e Microsoft, embora nada ainda tenha sido confirmado. “Eles estão um pouco ocupados. Nós conversamos, mas eles estão tentando lançar seus novos consoles. É uma possibilidade – e funcionaria. É a mesma coisa que com o iOS”, disse Laird Malamed, chefe de operações da empresa.

A inclusão do periférico nos consoles domésticos seria fácil, de acordo com o ponto de vista de Malamed. Para conectar os aparelhos, bastaria uma entrada HDMI – o que tanto PlayStation 4 quanto Xbox One possuirão. Isso se as próprias companhias não estiverem trabalhando em seus próprios dispositivos de realidade virtual: “Elas são grandes companhias, com muitos recursos. Para nós, seria bom. Com John Carmack (ex-desenvolvedor de jogos da id Software, responsável por Wolfenstein 3D e Doom) chegando como nosso chefe de tecnologias, nós tivemos uma boa campanha no Kickstarter. Eles continuam sendo bons apoiadores, mas nós ainda somos apenas uma startup”, declarou o CEO.

Com pouquíssima pretensão, o Oculus Rift já vendeu 20 mil unidades para desenvolvedores, desde o começo do ano, a US$ 300 cada. Você pode tentar adquirir um aqui.

Relacionados

Relacionados