Arquivo Negócios

Panasonic deve parar de produzir TVs de plasma em 2014

Paulo Higa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

As TVs de plasma receberam várias melhorias nos últimos anos, são melhores que as LCDs em determinados aspectos e ainda são muito desejadas por um grupo de pessoas, mas isso não impediu que elas perdessem mercado. A Panasonic deverá ser a próxima empresa a abandonar a tecnologia: de acordo com a Reuters, a fabricante japonesa deixará de produzir TVs de plasma até março de 2014.

Fontes da Reuters afirmam que a Panasonic fechará sua única fábrica de painéis de plasma no oeste do Japão, o que causará perdas de cerca de 900 milhões de reais. Os centenas de funcionários que trabalham no local deverão ser transferidos para outras unidades da empresa.

panasonic-viera

Esta parece ter sido uma estratégia do presidente Kazuhiro Tsuga para conter os prejuízos da Panasonic, que vem sangrando dinheiro: nos dois últimos anos fiscais, o prejuízo líquido combinado da empresa foi de 33 bilhões de reais. A divisão de televisores da Panasonic foi uma das principais responsáveis pelo resultado, com perdas de 2 bilhões de reais apenas no último ano fiscal.

A próxima aposta da Panasonic em TVs, segundo o The Verge, deverá ser o OLED, que compartilha algumas características do plasma, como o alto nível de contraste e os pretos profundos. Os painéis OLED não têm a péssima fama do plasma, marcado negativamente pelas manchas que apareciam na tela caso uma imagem estática fosse exibida por muito tempo, o tal efeito burn-in, que afetava especialmente antigas TVs de plasma.

Oficialmente, a Panasonic diz que está estudando o que fazer com o negócio de TVs de plasma, mas afirma que nada foi decidido ainda.

Em 2012, as TVs de plasma tiveram baixa participação de mercado: a DisplaySearch afirma que apenas 6% dos televisores vendidos no mundo eram de plasma, contra 87% das TVs de LCD. A indústria japonesa de TVs perdeu mercado depois da ascensão dos coreanos: juntas, as três grandes fabricantes (Sony, Panasonic e Sharp) têm menos de 20% do mercado mundial de TVs. A Samsung responde por 27,7% das receitas, enquanto a LG tem 15%.

Paulo Higa

Editor-executivo

Paulo Higa é jornalista, com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. Trabalha no Tecnoblog desde 2012, viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. É coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque