Arquivo Aplicativos e Software

Fãs do Winamp criam petição online para transformá-lo em um software de código-fonte aberto

Emerson Alecrim
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Na semana passada, o mundo soube que o Winamp teve o seu fim decretado, mas este clássico player viverá para sempre em nossos corações. Ou não: pouco tempo depois do anúncio, desenvolvedores que se declaram fãs do programa criaram uma petição online para que a sua atual dona, a AOL, o transforme em um software de código-fonte aberto.

Os motivos que levaram a companhia a acabar com uma ferramenta que possui mais de 15 anos de história não ficaram claros, mas podemos deduzir facilmente que, dado o surgimento de players mais adequados ao segmento móvel e à proliferação de serviços de streaming, não valia mais a pena manter o Winamp.

Save Winamp

Se o problema é falta de perspectiva, por que não liberar o código-fonte do programa para comunidades dispostas a mantê-lo voluntariamente, tal como a Oracle o fez ao entregar o OpenOffice.org à Apache Foundation (embora a suíte já tivesse código aberto), por exemplo?

Esta é a proposta da petição: se as assinaturas não servirem para que AOL mude de ideia ou se esforce para encontrar um comprador, que ao menos a convença a repassar o Winamp para os usuários mais assíduos – aparentemente, a única parte que ainda se interessa por ele.

Caso queira apoiar a ideia, basta preencher o formulário desta página no Chance.org (requer apenas nome, sobrenome, e-mail e cidade). Até o momento da publicação deste post, mais de 25 mil assinaturas já haviam sido obtidas.

Se dará certo? É pouco provável, uma vez que a AOL toma decisões com base em seus próprios interesses (assim como qualquer outra companhia), mas não custa tentar, né?

Mais detalhes da campanha estão no site Save Winamp.

Emerson Alecrim

Autor / repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais, negócios e transportes. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém um site chamado InfoWester.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque