Arquivo Antivírus e Segurança

Quais as chances de um celular perdido no Brasil ser devolvido?

Paulo Higa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Se você perder seu celular no Brasil, as chances da pessoa que o encontrou devolvê-lo para você são de apenas 27%. Pelo menos é isso que diz a Symantec, com base nos resultados do Projeto Honey Stick. Entre os meses de outubro e novembro de 2013, a empresa de segurança espalhou propositadamente 30 smartphones com o software modificado para que os pesquisadores pudessem monitorar o que as pessoas fazem com celulares perdidos quando o encontram.

Os aparelhos foram “perdidos” em áreas de grande tráfego nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. A pesquisa apontou que apenas 27% das pessoas tentam devolver o celular. O bom gesto não significa que os dados armazenados no aparelho estão seguros: a Symantec afirma que 90% dos celulares têm informações pessoas e profissionais bisbilhotadas.

projeto-honey-stick-symantec-brasil

70% tentaram visualizar fotos particulares armazenadas no aparelho perdido, enquanto 47% queriam dar uma olhada nas redes sociais do usuário. Um arquivo chamado “Senhas” também foi acessado 47% das vezes. Outros tipos de informações que causaram bastante curiosidade nas pessoas que encontraram os celulares incluem informações bancárias (40%), planilha de salários (37%), email corporativo (30%) e arquivos em PDF sobre recursos humanos (27%).

Pelo menos nas áreas em que os celulares foram perdidos estrategicamente, não demorou muito até que alguém tentasse acessar os dados armazenados no aparelho pela primeira vez: o tempo médio foi de três horas. Cerca de 50% dos dispositivos levou apenas uma hora antes de ser acessado por alguém.

Eu espero que você nunca perca seu celular, mas, caso perca, saiba que seus dados provavelmente serão acessados. Se você não quer que isso aconteça, proteja o aparelho com senha — uma das justificativas da Apple para o Touch ID era que apenas metade dos usuários de iPhone colocava senha no aparelho; o sensor de impressões digitais ajudaria a aumentar essa porcentagem. Ah sim: não se esqueça de habilitar o recurso de encontrar, bloquear e apagar remotamente smartphones perdidos, ou instalar um aplicativo para isso.

Paulo Higa

Editor-executivo

Paulo Higa é jornalista, com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. Trabalha no Tecnoblog desde 2012, viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. É coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque