Arquivo Celular

E se as telas dos smartphones não precisassem ser quadradonas?

Sharp Free Form Display permite "cortar" telas IGZO em diversos formatos

Paulo Higa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

As fabricantes estão testando novos formatos de telas. A Samsung tornou as curvaturas laterais um padrão nos smartphones mais caros: o Galaxy S7 Edge recebeu mais propaganda que o modelo plano, e o Galaxy Note 7 teve apenas uma versão curvada. Mas eles ainda trazem painel retangular, com cantos retos, como qualquer outra tela de smartphone. E se não precisasse ser assim?

A Sharp deu um gostinho do futuro durante a Ceatech 2016, feira de tecnologia que acontece no Japão até esta sexta-feira (7). O smartphone da fabricante japonesa se chama Corner R e praticamente dispensa as molduras em volta da tela, assim como o antigo Aquos Crystal. Mas a principal característica é que o novo painel tem cantos arredondados:

sharp-igzo

O nome da tecnologia utilizada no Corner R é Sharp Free Form Display e, como o nome sugere, os cantos arredondados são apenas uma das ideias possíveis — não haveria impedimentos técnicos para que a tela fosse triangular, redonda ou tivesse qualquer outro formato que você estiver imaginando.

A tela IGZO de 5,2 polegadas com resolução de 1920×1080 pixels ocupa quase 90% da frente do Corner R, segundo o GizmoChina, um dos melhores aproveitamentos de espaço que vimos até hoje. Ela é curvada em todas as extremidades, menos na inferior, ligada à base do smartphone — que, ainda assim, é bem compacta, ainda mais quando comparamos com certos smartphones.

sharp-igzo-2

Eu certamente não gostaria de derrubar esse smartphone no chão, mas o Corner R é mais um daqueles conceitos que mostram que as empresas podem fazer praticamente qualquer coisa hoje — a limitação é criativa, não tecnológica. Curioso para saber o que veremos nos próximos anos.

Paulo Higa

Editor-executivo

Paulo Higa é jornalista, com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. Trabalha no Tecnoblog desde 2012, viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. É coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque