Será o fim dos presentes desagradáveis? Sim, se depender da Amazon

Thássius Veloso
Por

Pode até ser que, no momento em que se dá um presente, o que vale é a intenção. Ainda assim sempre tem aqueles presentes que são inúteis ou desagradáveis, que nós gostaríamos de trocar tão logo abrimos a embalagem e descobrimos o que é. A Amazon está a um passo de tornar isso possível. Tanto que a ideia inclusive já passou pelo escritório de patentes dos Estados Unidos e já está registrada.

Essa nova patente da Amazon ainda não foi implementada, mas garante um sistema no qual a pessoa que vai receber presentes possa bloquear o envio de algum produto antes que ele seja efetivamente concretizado. Digamos que alguma tia sua decidiu te dar um novo controle para o Nintento Wii, quando na verdade você possui um Xbox 360. Com a patente, a Amazon estaria apta a evitar que esse tipo de coisa acontecesse.

Meias como presente de aniversário/Natal/whatever: ninguém merece

A principal motivação para um sistema como esse é a redução de custos. Lá nos Estados Unidos os consumidores têm o direito de devolver os produtos que, por qualquer motivo, não lhes agrada – de forma similar ao que acontece aqui no Brasil, por sinal. Milhões de dólares são empregados no reenvio dos produtos para as lojas, bem como no processamento das encomendas e no manuseamento em centros de distribuição. Quando a Amazon tenta mandar o presente certo para a pessoa certa, não está sendo boazinha, mas apenas diminuindo os próprios custos.

Na teoria os usuários teriam como criar filtros para evitar que parentes, amigos, namorados etc. enviem presentes desagradáveis. Por exemplo, se você não gosta de camisas verdes, teria como bloquear o envio desse tipo de presente. É algo que dependeria de um grande poder de processamento por parte da Amazon, mas que evitaria constrangimentos.

O que acontece se uma pessoa decide trocar seu presente antes de ele ser enviado? São duas as opções, de acordo com a patente da Amazon: enviar um cartão agradecendo o presente original (aquele que a pessoa não recebeu, por mais cara de pau que possa parecer) ou avisar que houve uma troca de produto por qualquer que seja o motivo.

É importante dizer, porém, que tudo isso ainda está no campo das possibilidades. A Amazon garantiu a patente quanto a isso, mas ninguém sabe se o sistema está efetivamente pronto ou eles apenas começaram a programá-lo. De qualquer forma, eu ainda sou adepto de receber o presente primeiro e trocar depois. O cara-a-cara, tocar na embalagem e desembrulhar o mimo são insubstituíveis. Mas talvez eu esteja sendo apenas saudosista em excesso.

Com informações: Washington Post. Imagem: flickr Breibeest.

Relacionados

Relacionados