Nokia tem pior venda de celulares desde 1997

Ainda assim, finlandesa permanece como maior fabricante de dispositivos móveis do mundo.

Thássius Veloso
Por

A empresa de pesquisas Gartner divulga nessa quinta um novo apanhado de dados referentes ao mercado de celulares no primeiro trimestre do ano. O destaque fica por conta da Nokia, que atingiu a sua participação de mercado mais baixa desde 1997, quando ainda nem existia uma coisa muito importante nos dias de hoje chamada “smartphone”.

De acordo com a companhia, 427,8 milhões de celulares (ou seja, smartphones e não-smartphones) foram vendidos no período que vai de janeiro até março de 2011. Houve aumento de 19% nesse total, se comparado com o primeiro trimestre de 2010.

A Nokia vendeu sozinha 107,5 milhões de unidades de celulares. A finlandesa continua como líder absoluta desse mercado. A má notícia é que sua participação de mercado caiu 5 pontos percentuais para 25,11%, frente o mesmo período do ano passado. Além disso, a Gartner afirma que a Nokia chegou ao seu market share mais baixo desde 1997.

Pela análise da Gartnet, a Nokia vai diminuir “agressivamente” os preços de seus produtos em mercados onde as operadoras controlam os canais de vendas (isso inclui o Brasil). Tudo para manter a distribuição de aparelhos rodando Symbian enquanto seus primeiros aparelhos com Windows Phone 7 não são lançados.

Celulares vendidos no 1º trimestre de 2011 (fonte: Gartner)

A segunda maior fabricante de celulares é a Samsung, com 68,8 milhões de unidades vendidas, o que lhe dá 16,1% do mercado (-1,9 pp.). Em terceiro vem a LG, com 24,0 milhões de aparelhos (5,6%), seguida de perto pela Apple, que responde por 3,9% do mercado global (13,0 milhões de aparelhos vendidos).

Android lidera

Quando falamos especificamente de smartphones, não é surpresa que o Android apareça como líder. Na contabilização feita pela Gartner os dados são meio confusos, pois há sistemas (Android e iOS) misturados com companhias fabricantes de software (RIM). De qualquer forma, temos o Android na liderança  com 36,0%. O crescimento do sistema do Google foi vertiginoso, visto que ele respondia por apenas 9,6% dos smartphones um ano antes.

Ainda resistindo bravamente, o Symbian aparece na segunda posição, com 27,4% dos smartphones. O iOS da Apple é terceiro colocado, com 16,8% (e 16,9 milhões de unidades vendidas no período).

Para a Gartner, o fortalecimento dos “ecossistemas” é fundamental para o sucesso de uma plataforma. “Toda vez que um usuário baixa um app nativo para o seu smartphone ou coloca seus dados no serviço de nuvem da plataforma, estão se comprometendo com um ecossistema específico e reduzindo as chances de trocá-lo por outra plataforma”, diz Roberta Cozza, a analista-chefe da empresa.

No total, foram vendidos 100,7 milhões de smartphones no primeiro trimestre de 2011 no mundo. Nada mal.