Arquivo Aplicativos e Software

Com corpinho de 18, Linux chega aos 20 anos

Paulo Graveheart
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Duas décadas atrás, mal existia internet no mundo, muito menos no Brasil, a Microsoft ainda engatinhava nos seus planos de dominação mundial, e a Apple tentava sobreviver sem Steve Jobs (que na época estava ocupado com a Pixar). No meio disso tudo, meio que escondido em um quarto escuro no meio da Finlândia, um jovem começava a revolucionar a informática. Sim, estamos falando dos 20 anos de Linux!

Considerado um dos emails mais famosos da história da informática, esse é o ponto em que Linus Torvalds anunciava ao mundo o sistema operacional que ele havia criado, ainda em uma fase bem inicial. No email, ele pedia ajuda aos colegas do grupo de discussão, querendo idéias e sugestões de funcionalidades do novo sistema operacional:

From:[email protected] (Linus Benedict Torvalds)
Newsgroup: comp.os.minix
Subject: What would you like to see most in minix?
Summary: small poll for my new operating system
Message-ID: 1991Aug25, [email protected]
Date: 25 Aug 91 20:57:08 GMT
Organization: University of Helsinki.

Hello everybody out there using minix-

I’m doing a (free) operating system (just a hobby, won’t be big and professional like gnu) for 386(486) AT clones. This has been brewing since april, and is starting to get ready. I’d like any feedback on things people like/dislike in minix; as my OS resembles it somewhat (same physical layout of the file-sytem due to practical reasons) among other things.

I’ve currently ported bash (1.08) an gcc (1.40), and things seem to work. This implies that i’ll get something practical within a few months, and I’d like to know what features most people want. Any suggestions are welcome, but I won’t promise I’ll implement them

Linux Torvalds [email protected]

E exatamente nesse dia, 25 de agosto de 1991, o Linux era anunciado para o mundo. Claro, ele ainda nem tinha esse nome, mas foi o momento em que a revolução começou.

E qual revolução? O conceito de software livre e código aberto já existia bem antes, mas foi com o Linux que essas idéias começaram a se espalhar (e deixar muita gente dentro das empresas de cabelo em pé). Muito disso se deve à liderança de Linus Torvalds, que com seu jeito 50% explosivo, 50% zen e 100% nerd, conseguiu criar todo um processo para que pessoas de todo o mundo pudessem colaborar com o código do sistema.

Aliado a isso, a própria internet ajudou (e foi ajudada) pelo Linux: sem a internet podendo conectar diversos servidores e usuários, todo o sistema de colaboração que tornou o software livre popular não seria possível. Teríamos um sistema que seria desenvolvido e usado somente por um grupo pequeno de estudantes que tivessem acesso à internet de qualidade em universidades de renome.

Ubuntu e Chromium: livres

E foi justamente o Linux e todo o pacote de programas livres que ele trouxe que tornou a internet mais estável, mais segura, e principalmente, mais livre. Sem o Linux, é bem provável que boa parte dos servidores mundo afora estivesse nas mãos de uma ou duas empresas. E isso com certeza tornaria a rede bem diferente do que é hoje.

E não acaba aí: o Linux finalmente deu ao usuário comum o poder da escolha. Você não precisa usar um ambiente de trabalho pré-definido que quando muito permite a você mudar um ou dois elementos. Você pode escolher vários ambientes de trabalho, todos com suas vantagens e desvantagens. E você ainda pode customizar alguns desses ambientes de forma a deixá-lo do melhor jeito para você. Não gostou de nenhum? Se você souber programar, pode pegar as diversas bibliotecas de funções já prontas na internet e criar o seu próprio. Simples.

E o mesmo se aplica a diversos programas do dia-a-dia. Quem nunca participou de um briga entre Vi X Emacs? 😛

Quer mais? Temos Linux em telefones. Temos Linux em robôs, TVs, geladeiras, supercomputadores, e por aí vai. Na verdade, pare agora e dê uma boa olhada nessa página que você está vendo. O sistema de blogs que usamos é software livre. O banco de dados é software livre. O interpretador que pega o código e gera um HTML legível por humanos é software livre. O servidor em que ele está hospedado usa software livre de formas que você mal consegue imaginar, para entregar o conteúdo até você.

Na verdade, dependendo do navegador que você estiver usando, é bem provável que você esteja navegando a partir de uma ferramenta que nasceu a partir do software livre.

Portanto, que esses 20 anos sejam apenas a ponta do iceberg da revolução do Linux, e que ainda possamos comemorar muitas e muitas décadas de Linux. E, dentro do possível, que nunca nos esqueçamos de uma das grandes frases de Linus, durante uma discussão: “Falar é fácil: me mostra o código”. Ele nos mostrou. 🙂

Você pode saber mais sobre a história do Linux com um vídeo feito pela Linux Foundation. E pode também ver um vídeo que a própria Microsoft, outrora inimiga número 1 do Linux, fez para comemorar os 20 anos do sistema.

Paulo Graveheart

Ex-redator

Paulo Henrique "Graveheart" é formado em Ciências da Computação e fez parte da equipe do Tecnoblog entre 2010 e 2014, como redator. Participou da cobertura de lançamentos no mundo do desenvolvimento de software, PCs, mobile e games. Também tem experiência profissional como desenvolvedor full-stack e technical lead.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque