Arquivo Celular

10 coisas legais sobre o BlackBerry PlayBook

Thiago Mobilon
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Estamos de volta com as dicas que vocês nos enviaram por causa deste post aqui. Não contei uma por uma, mas por cima sei que foram pelo menos 200! Ou seja, tive que fazer uma seleção das melhores e utilizei como critério duas coisas: 1. Principais diferenciais em relação a concorrência; 2. Dicas mais legais baseando-se na experiência de minha pessoa para com o tablet.

Vamos nessa?

1. Você não precisa de botões para usar um Tablet

Pelo menos não se estiver usando o PlayBook. A interface dele é toda baseada em touch gestures (tem alguma tradução pra esse termo? Tipo, gestos de toque?! Oo). Arrasta o dedo de baixo para cima, ele mostra todos os apps abertos. De cima para baixo, ele mostra os menus com as opções do aplicativo.

Bem simples, resposta imediata e nada de ter que ficar dando dois cliques para ver as apps que estão abertas, ou um clique para ver a tela inicial. Se o gadget tem tela sensível ao toque, maior besteira manter botão para esses detalhes tão importantes do SO.

2. Tamanho ideal

Não é babação de ovo. Eu tenho o tablet da principal concorrente, mas me apaixonei pelo tamanho e pela pegada do PlayBook desde o primeiro contato. Tá, se você é viciado em séries, pode ser que queira mais do que 7 polegadas, mas para algumas tarefas o tamanho é mais do que suficiente. Sem falar a experiência de digitação, como a tela é menor, dá para usar as duas mãos e acertar as letras em cheio.

3. Hardware parrudo

O PlayBook possui um processador de 1GHZ, 1GB de memória RAM e tela com resolução de 1024×600 pixels.

Ter um hardware parrudo nem sempre significa alguma coisa. Às vezes o dispositivo tem um puta hardware, mas o sistema também é mais pesado. Não que esse sejao caso do PlayBook, não testei ele a fundo para tirar boas conclusões sobre o hardware. O que posso dizer é que ele se saiu muito bem rodando games (algo que eu não esperava, já que a RIM é especialista em produzir devices para o público corporativo).

4. Gráficos ricos para games

Eu sei, eu disse isso no tópico anterior. Mas falando sério, você esperava isso de um BlackBerry? Eu não. Talvez por isso tenha me surpreendido tanto com os jogos que testei.

5. Suporte a Flash e HTML5

HTML5 ok. Mas Flash não é uma coisa que faça muita diferença para mim em um tablet. Mas bem, é um diferencial perante o principal concorrente, e também foi uma feature citada por metade de vocês. Logo, vamos destacar: o PlayBook roda Flash! Se isso é importante para você, então já está avisado.

6. Saída mini-HDMI

Tão simples como espetar o cabo e ter a imagem espelhada na sua TV. Nada de precisar comprar um adaptador que custa 100 reais, just plug and play. Talvez você precise de um adaptador mini-HDMI macho para HDMI fêmea, mas isso você deve encontrar no chinês mais próximo de você por 10 reais (13,90 no Mercado Livre).

7. Multitask com interface intuitiva

Nesse vídeo do Engadget vocês conseguem ter uma ideia do que eu estou falando. Isso que eu chamo de multitasking fácil de usar. E diferente de outros tablets, no PlayBook o sistema é multi-tarefa de verdade: os aplicativos continuam rodando e executando todas as suas funções mesmo quando estão rodando em background.

8. Duas câmeras que filmam em 1080p

O PlayBook possui duas câmeras: uma frontal e uma traseira. A frontal possui 3MP de resolução, já a traseira possui um pouco mais, 5 megapixels. Apesar de possuírem resoluções diferentes, as duas câmeras filmam em Full HD (1080p).

E sim, você pode utilizar a câmera frontal para fazer vídeo-chamadas entre dispositivos BlackBerry, sem pagar nada por isso (Wi-Fi).

9. Roda Apps do Android

Num futuro próximo poderemos rodar apps de Android no Playbook, utilizando um aplicativo chamado Android App Player. Por enquanto o recurso só está disponível para developers, mas já há vários vídeos no YouTube demonstrando o como será.

O que é certo é que a RIM vai analisar todos os aplicativos de Android que forem enviados para a BlackBerry App World. Isso é uma garantia de que apenas os que rodarem bem serão aprovados.

10. Integração com smartphones BlackBerry

Por padrão, o PlayBook não possui app de email, calendário e contatos. Elas só aparecem quando você instala o BlackBerry Bridge no seu smartphone e sincroniza com o tablet. Feito isso, o aplicativo se encarrega de manter os dois devices sempre sincronizados.

Pra mim esse recurso é indiferente, uma vez que eu utilizo IMAP nos meus devices e GMail web no Mac. Mas esse é outro que entrou na lista pela quantidade de citações.

Ah, um detalhe: o BlackBerry Bridge só pode ser instalado em aparelhos com o SO na versão 5.0 (ou superior). A RIM diz que o update já está disponível gratuitamente para a maioria dos aparelhos e operadoras, além de quê, os aparelhos novos já devem vir com a versão atualizada do sistema.

Full disclosure: este post não se trata de uma análise do BlackBerry Playbook. É apenas uma coletânea com as melhores dicas enviadas pelos leitores por causa deste outro post.

Thiago Mobilon

Founder & CEO

Começou a empreender aos 18 anos, fazendo manutenção de computadores e artes gráficas. Criou o Tecnoblog para ser uma espécie de laboratório, onde contaria as suas experiências com eletrônicos e, de quebra, poderia aprender sobre programação e servidores. No entanto o site cresceu rapidamente, se transformando em uma empresa de mídia digital.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque