Arquivo Antivírus e Segurança

Pesquisadores alegam que Xbox 360 armazena cartões de crédito no HD; Microsoft nega

Rafael Silva
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Durante o final de semana um grupo de pesquisadores de duas universidades americanas revelou uma potencial e séria vulnerabilidade no Xbox 360, o console da Microsoft. Segundo eles, a maneira como o cartão de crédito é inserido no console faz com que as informações fiquem gravadas no HD e permite que qualquer pessoa, com as ferramentas certas, consiga recuperá-lo e usá-lo para outros fins.

Na teoria o cartão de crédito só seria usado para transações na Live, o serviço de conteúdo do Xbox 360. Mas as descobertas dos pesquisadores Rob D’Ovidio, da Universidade Estadual de Dakota, e Ashley Podhradsky, da Universidade de Drexel, mostram que ele não é enviado apenas para os servidores da Microsoft: os números ficam gravados no disco rígido. Eles afirmam que compraram um Xbox 360 usado e conseguiram, depois de instalar certos programas e fuçar o HD do console, extrair o número de cartão de crédito do antigo dono. A parte mais preocupante: mesmo depois de reformatado, os dados continuariam no HD.

A Microsoft, no entanto, foi categórica ao afirmar que as alegações dos pesquisadores não são verdadeiras. A empresa disse ao site Joystiq que “Xbox não armazena dados do cartão de crédito localmente e por isso é muito improvável que tais informações foram recuperadas usando o método descrito” afirmou o gerente do setor de Segurança dos negócios de Entretenimento da Microsoft, Jim Alkove. Ainda assim, a Microsoft vai trabalhar com os pesquisadores para descobrir se a vulnerabilidade é real ou trata-se de um problema específico com a unidade obtida pelos pesquisadores.

Pode parecer surreal o fato de que alguém teria todo o trabalho de fuçar as entranhas do HD de um Xbox 360 usado com o objetivo de extrair o cartão de crédito de alguém. Mas agora que a falha foi divulgada (e se for comprovada pela Microsoft), pessoas mal-intencionadas podem instalar as ferramentas usadas pelos pesquisadores – que são fáceis de encontrar na web – e passar a minar números de cartões dos consoles.

Então melhor esperar uma posição oficial da Microsoft antes de vender seu console ou levá-lo para uma assistência técnica não confiável. Isso é, se você for um pouquinho paranoico sobre a sua segurança.

Rafael Silva

Rafael Silva tem 27 anos, estudou Tecnologia de Redes de Computadores e mora em São Paulo. Tem uma queda pela Apple na área de dispositivos móveis, mas sempre usou Windows em todos os seus notebooks e desktops. Vez ou outra fala alguma coisa interessante no Twitter: @rafacst. [Envie um email]

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque