Izzy Nobre

Sobre

Izzy Nobre é o autor do HBD, mora no Canadá desde 2003 e adora gadgets. Ele pode ser encontrando floodando o twitter com mensagens sobre iPhones, videogames e a vida de um brasileiro no exterior.

Artigos de Izzy Nobre

A Sony e o novo PSP: pura teimosia

06/09/2011 às 16h03 por

Às vezes acho que não deve haver um adjetivo melhor para a Sony do que "teimosa". Estamos a apenas alguns meses do lançamento do PS Vita, e a gigante japonesa de entretenimento aparentemente decidiu espremer o idoso PSP até a última gotinha. Mesmo após o mercado em geral ter decidido que não liga tanto assim para o portátil. No mês passado, a Sony apresentou na Gamescom um novo modelo de PSP, com um preço mais acessível e lançamento exclusivo no merc

As melhores reviravoltas nas tramas de games

30/08/2011 às 16h14 por

Todo mundo gosta de uma história com reviravolta no final. Tem até quem fez carreira (e eventualmente decepcionou os fãs) apostando sempre nos finais chocantes, como é o caso do cineasta M. Night Shyamalan. (Aliás, ele ainda insiste nessa, ou já percebeu que perdeu a mão faz tempo?) Os "twist ending" satisfazem em diversos níveis. Primeiro porque a sensação de surpresa (especialmente quando a reviravolta acontece de forma particularmente criativa) geralmente choca o espect

Os jogos mais estranhos do mundo

23/08/2011 às 16h05 por

Arte é provavelmente uma das coisas mais subjetivas que existem. Qualquer metodologia usada pra medir produções artísticas é completamente arbitrária e nenhuma opinião é necessariamente mais "válida" que a outra. Apesar disso, acho que todos conseguimos chegar a um consenso quando o assunto é arte esquisita. Vamos usar como exemplo a produção "Merda d'artista", um trabalho "artístico" e metalinguístico que consistia simplesmente em noventa latinhas de metal carregando fezes do artista italiano

Retrospectiva: Pokémon em suas edições legendárias

16/08/2011 às 16h52 por

Os leitores desta coluna sabem que minhas impressões sobre o Nintendo 3DS não são das melhores. Expliquei algumas vezes por que acredito que o novo console portátil da Nintendo está caminhando em direção à infâmia comparável a do Virtual Boy, e acho (embora seja suspeito para falar isso) que usei argumentos cujos méritos se mostram evidentes nas tendências atuais relacionadas ao console. Entretanto, os fanboys esperançosos têm u

Top 5: os jogos mais famosos de zumbi

09/08/2011 às 16h47 por

A mundo pop está vivendo um caso de amor com zumbis ultimamente. Há quem pense que o tema já saturou (sempre tem essa gente, não é?), mas parece que a onda continua, a despeito dos insatisfeitos. Suspeito que o renascimento do gênero (que explodiu na cultura popular gringa nos anos 1960) se deve ao remake de Madrugada dos Mortos (Dawn of the Dead, no título original), de 2004, do "visionário" diretor norte-americano Zack Snyder. As aspas não são sátira minha; é assim que o car

E o 3DS vai mal das pernas. Você está surpreso?

02/08/2011 às 16h21 por

Apesar de jurar de pés juntos que considero o SNES o melhor videogame de todos os tempos e de adotar o Mario e sua iconografia clássica como extensões da minha própria personalidade, venho há tempos sendo taxado de hater da Nintendo. Ultimamente minhas análises dos esforços da Big N são extremamente pessimistas, o que aparentemente levou alguns dos leitores à conclusão de que mantenho uma posição quase dogmática de odiar a empresa e tudo que ela produz. Naturalmente, não é o caso. A Nintendo fez uma imensa parte da minha infância,

Celebridades que curtem games

26/07/2011 às 16h44 por

Vários tablóides e revistinhas de fofoca sobre celebridades trazem em suas páginas uma seção com factóides que provam que as celebridades também fazem coisas triviais como todos nós, como ir ao supermercado ou pagar o estacionamento. Por exemplo, a US Weekly, uma das mais populares revistas americanas de fofoca de celebridade, tem a Just Like Us ("Igualzinho à gente", numa tradução informal), uma coluna que costuma mostrar a Angelina Jolie comprando pão ou o Justin Bieber trocando SMS no celular. O ape

Tiny Tower: seja um síndico virtual nesse jogo gratuito para iPhone

19/07/2011 às 16h11 por

Existem três características que, se executadas de forma competentes, fazem com que o sucesso de um game seja inevitável. A primeira é gameplay simples e viciante; a segunda, estilo de arte distinto; a última e não menos importante é o preço do jogo. Tiny Tower, para iPhone, iPod Touch e iPad acerta nos três quesitos. Em Tiny Tower você gerencia uma torre comercial ou residencial em moldes que talvez te lembrem do clássico SimTower, da Maxis.  Enquanto SimTower era uma simulação mais complexa, Tiny Tower te

Os pioneiros do FPS, RPG, corrida e outros

12/07/2011 às 17h23 por

O universo gamer (muito como o cinema; é curioso notar o quão similares as duas indústrias são) se vê constantemente acusado de falta de originalidade. Entra ano e sai ano, vemos inúmeras continuações e remakes de games clássicos e muito pouco conteúdo original. O motivo é tão simples quanto é transparente: desenvolver games é, como qualquer outro investimento, uma aposta. E é mais seguro apostar naquilo que já se sabe que dá certo. Apesar de fazer sentido comercialmente falando, esse constante retorno às mesmas franquias de sempre fica tão óbvio que chega a ser vergonho

Jogos novos para consoles bem velhos

06/07/2011 às 15h15 por

Você já deve ter notado que existe atualmente uma imensa onda de apreciação pela experiência retrô no mundo dos games. Analisando bem, foi um fenômeno inevitável: assim que aquela criançada que passava seu tempo livre jogando videogames cresceu e se tornou parte do mercado consumista, surgiu uma miríade de empresas vendendo para elas bonequinhos, camisetas, chicletes e até revistas direcionadas à turma que ainda defende a opinião de que o SNES é o melhor console de todos os tempos.Descobrimos que nos

5 portáteis que perderam para o Game Boy

29/06/2011 às 15h19 por

Em março escrevi um artigo narrando a breve vida de cinco consoles portáteis que ficaram apenas como breves notas de rodapé na história dos videogames. Entre eles estavam o Tapwave Zodiac, um misto de PDA com videogame que nasceu muito antes do tempo em que tal idéia seria sustentável, e o Gizmondo, um console produzido por uma empresa cujo manda-chuva acabou na prisão por envolvimento com a máfia. Entretanto, o hall da infâmia dos v

As piores capas de games de todos os tempos

22/06/2011 às 16h22 por

Quando éramos garotos, não havia o fácil acesso à internet que temos hoje. Consequentemente, não existia um livre acesso de informações a respeito de jogos. Deve ter sido uma época boa pra produzir jogos medíocres; quando os depoimentos de boca em boca atingissem massa crítica, o jogo já tinha vendido um número consideravelmente satisfatório que jamais teria sido atingido se tivéssemos acesso a resenhas. E por isso, só havia naquela época dois veículos para descoberta de bons jogos: as revistas especializadas, que traziam resenhas com imagens dos jogos, e as caixas dos jog

Carregar mais posts

Faça seu login no Tecnoblog

Crie a sua conta

Esqueci minha senha