Gilberto Soares Filho

Gilberto Soares Filho

Sobre

Artigos de Gilberto Soares Filho

Covid-19: os cibercriminosos e a guerra de narrativas

às 11h05 por

Cerca de duas ou três semanas atrás, dois tipos de campanhas de engenharia social explorando a Covid-19 começaram a ser feitas no exterior. Como você já deve saber, golpes desse gênero são centrados principalmente em e-mails (o phishing tradicional), mas usam também outras formas para tentar atingir os usuários, como SMS, redes sociais e comunicadores instantâneos como o WhatsApp. Google Brasil cancela eventos e viagens em meio ao coronavírus

Microsoft ElectionGuard: uma iniciativa open source que pode revolucionar o voto

às 16h00 por

Eu não sou muito chegado a teorias da conspiração, até porque elas vão contra meu credo básico na Navalha de Occam, que a grosso modo diz que “a proposição que tiver o menor número de suposições tende a ser a verdadeira”, mas confesso que certa vez senti um desconforto ao votar em nossa urna eletrônica. Como funciona a urna eletrônica brasileira? Urnas eletrônicas têm

Por que a melhor criptografia é open source

às 16h00 por

A história da Crypto AG é bem conturbada. Ela foi fundada originalmente na Suécia, em 1920, com o nome de Cryptoteknik. O fundador faleceu e seu principal investidor, Boris Hagelin, assumiu a empresa. Em 1940, na Segunda Guerra Mundial, quando os nazistas invadiram a Noruega, Hagelin mudou-se para os EUA e ofereceu seus serviços aos órgãos de inteligência norte-americanos, ganhando um contrato em que licenciou a fabricação de mais de 140 mil máquinas que seriam usadas pelos Aliados.

Ransomwares: da insanidade ao modelo de negócios

às 14h59 por

Apesar de terem sido apresentados ao público de maneira mais ampla por volta de 2017, quando, em um espaço de poucos dias, o WannaCry atingiu o NHS, sistema público de saúde inglês, a matriz da Telefónica na Espanha e outros alvos diversos, os ransomwares não são algo propriamente novos. O que é um ransomware?

Clearview e o determinismo tecnológico

às 11h15 por

"A sociedade ocidental aceitou como inquestionável o imperativo tecnológico, que é deveras arbitrário em seu mais primitivo tabu: não apenas o dever de promover a intenção e criar constantemente novidades, mas também o igual dever de render-se à estas novidades de forma incondicional, só porque elas são ofertadas, sem respeitos às suas consequências humanas." A observação de

FBI versus Apple, é muito mais que FBI versus Apple

às 16h35 por

Criptografia não é algo novo, ainda na Roma Antiga a “Cifra de César” era usada para tornar ilegíveis as mensagens que eram enviadas para os líderes dos exércitos romanos nos campos de batalha. Era algo rústico, que consistia basicamente em deslocar as letras do alfabeto, ou seja, se fosse uma cifra com valor 3, o “A” se transformaria em “D”, o “B” em “E” e assim por diante, veja a imagem abaixo, que deixa mais clara a operação. Vão tirar o biscoito do retargeting...

Vão tirar o biscoito do retargeting...

às 10h00 por

Já perdi noção do número de vezes que amigos e familiares me perguntam se seus telefones os estão escutando o tempo inteiro. Esta pergunta geralmente vem acompanhada da declaração de que a pessoa “falou” em comprar tal produto próximo ao telefone e, do nada, anúncios de tal produto ou similares, começaram a ser exibidos em sites e redes sociais. Explico que sim (eles estão nos ouvindo), e que não. Windows 7: agora, é cada um por si...

Windows 7: agora, é cada um por si...

às 11h40 por

A data é 14/01/2020. No décimo quarto dia, do segundo mês, do ano de 2020, o suporte de atualizações da Microsoft a um dos melhores sistemas operacionais que já criados pela empresa, o Windows 7, chega ao final para a maioria dos usuários. Sim, maioria. A cibersegurança da Internet das Coisas, um risco ignorado

A cibersegurança da Internet das Coisas, um risco ignorado

às 17h43 por

A cena poderia perfeitamente ter sido retirada de um filme de terror dos anos oitenta. Uma criança, sozinha em seu quarto, pergunta para o vazio em voz alta: quem é você? O vazio aparentemente lhe diz: eu sou seu melhor amigo, eu sou Papai Noel. Visivelmente tensa, a criança grita pela mãe, no que a voz responde: eu sou Papai Noel, você não quer ser minha melhor amiga? E continua: você pode bagunçar seu quarto. Você pode quebrar sua TV. Você pode fazer o que quiser. Mas, não se trata de cena de filme de terror, nem de ficção científica.