Matheus Gonçalves

Sobre

Analista de Sistemas Senior formado pela FEI, com especializações em Usabilidade, Game Development e mais de 15 anos de experiência na área de tecnologia. Foi desenvolvido no Brasil mas atualmente está sendo executado em um servidor em Atlanta, nos Estados Unidos. Geek, fotógrafo, assoprador de cartuchos, viajante do tempo/espaço e baterista nas horas vagas.

Artigos de Matheus Gonçalves

Nintendo Switch é o console portátil de mesa que chega em 2017

20/10/2016 às 13h20 por

A Nintendo divulgou nesta quinta-feira (20) o primeiro vídeo promocional de seu mais novo videogame, chamado Nintendo Switch, cujo codinome em fase de projeto era NX. De acordo com o vídeo, o Switch é um portátil de mesa. Confuso, né? Eu concordo, mas será mais ou menos assim: você poderá jogar no conforto da sua sala, plugando o aparelho no Nintendo Switch Dock e jogando com u

A Nintendo encontrou algumas relíquias esquecidas num de seus depósitos

13/10/2016 às 17h55 por

Você já notou que existe atualmente uma forte onda de saudosismo sobre videogames? Eu mesmo estou nessa aí até o pescoço. E é bem fácil perceber que o comércio de cartuchos e consoles retrô em sites de compra e venda é bem aquecido, com preços que variam entre as categorias "nossa-senhora-isso-tá-de-graça" até a "Ok-vou-deixar-isso-para-o-Tony-Stark." Se você também gosta de games antigos, prepare seu coração: esta semana, alguém da Nintendo do Japão resolveu dar uma organizada em um de seus depósitos e qual não foi a surpresa ao

Quando os games ultrapassam as fronteiras da vida

06/10/2016 às 16h24 por

Hoje vamos falar sobre morte. Mas não com o teor nefasto que, certamente, assustou algum leitor mais desavisado. Hoje vamos falar da morte como instrumento da valorização da vida. Quando o músico David Bowie faleceu, pouco tempo depois que perdemos (perdemos?) o ator Alan Rickman, eu escrevi

A próxima geração de robôs será capaz de reagir ao estado mental de humanos

15/09/2016 às 17h48 por

A inteligência artificial foi criada para resolver problemas. E quanto mais humanos os solucionadores de problemas, mais precisas serão as soluções para os problemas humanos. É uma relação complexa, mas linear. Nem todo software foi feito para resolver problemas — a maioria, por sinal, apenas executa instruções dentro de uma lógica booleana pré-estabelecida por um programador. Mas há décad

Sony anuncia PlayStation 4 Pro com suporte a HDR e 4K

07/09/2016 às 18h25 por

A Sony apresentou ao mundo a próxima iteração do PlayStation 4. Sim, iteração, acostumem-se com esse termo, uma vez que geração parece mesmo ter se tornado coisa do passado. E esse novo modelo, chamado PlayStation 4 Pro, traz alguns upgrades bem interessantes em relação ao PS4 original. Com processador

Será que um robô vai roubar seu emprego?

25/08/2016 às 15h13 por

O ano é 2016. Carros dirigem sozinho, computadores controlam aviões e robôs são partes fundamentais da economia global. Se algum autor de ficção científica tivesse escrito uma obra com o contexto acima, não muito tempo atrás, seria visto como visionário. Ou louco. Ou as duas coisas. Acontece que essa é nossa realidade atual. Tudo isso já existe, e muito mais está por vir. Inteligências artificiais estão cada vez mais poderosas e a aprendizagem automática torna os computadores e robôs verdadeiras máquinas (ah vá!) de resolver problemas. Muitas vezes, numa velo

Internet Archive liberou milhares de games do Amiga para você jogar no navegador

10/08/2016 às 16h27 por

Em época de smartphones e tablets, talvez seja necessário fazer uma contextualização para os mais novos. Em meados dos anos 80, existia uma batalha de mercado de computadores domésticos. Entre as empresas envolvidas, a Commodore lançava seus produtos da linha Ai Miga, sua loca. Digo, Amiga. Eram computadores que rodavam AmigaOS e tinham processador da Motorola (sim!). Entre outras coisas, essa unidade de

Como melhores tecnologias podem nos proteger de distrações

04/08/2016 às 14h19 por

Recentemente estive em Nova York e escolhi minha hospedagem no AirBnb. Tenho como costume separar um tempo para conhecer os donos da casa, e assim o fiz. Passamos várias horas conversando sobre as redondezas e sobre a vida. Tirando os momentos que estive com os amigos que fui encontrar lá, foi a melhor parte da viagem. Não me entenda m

Carregar mais posts