Início / Especiais / Demais assuntos /

A tecnologia do árbitro de vídeo usada nos jogos da Copa do Mundo na Rússia

Victor Hugo Silva

Por

Especial
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

A Copa do Mundo na Rússia é a primeira a contar com o VAR (“video assistant referee” ou “árbitro assistente de vídeo”). A medida deve ajudar a reduzir a quantidade de erros durante os jogos e depende muito da tecnologia para funcionar corretamente.

Para esta Copa, a FIFA criou uma central de operações em Moscou que auxilia os árbitros em momentos difíceis das partidas. Com a ajuda de fibra ótica, o local consegue receber imagens captadas durante o jogo e se comunicar com o árbitro.

Além do VAR, que atua como chefe da equipe de vídeo, há outros três assistentes. Eles terão tarefas individuais, como acompanhar lances de impedimento e verificar o que está acontecendo enquanto um lance é analisado pelo árbitro principal.

Quer ver a Copa de 2018? Como assistir aos jogos da Copa na Rússia ao vivo pela internet

A equipe também tem quatro operadores de replay: dois deles selecionam os melhores ângulos e os outros dois reúnem as imagens usadas em cada análise para a divulgação no site e no aplicativo da FIFA após o jogo. Para evitar que algum lance passe despercebido, o gramado será cercado por uma série de dispositivos.

São 33 câmeras acompanhando o jogo, além de duas voltadas para situações de impedimento que são exclusivas da equipe de vídeo. A sala de operações também conta com duas câmeras direcioandas para os árbitros. A ideia é fazer com que o processo de tomada de decisão seja público.

Em campo, quatro câmeras filmam em ultra câmera lenta, e oito em super câmera lenta. Elas servem para identificar o contato em uma possível falta, mas podem distorcer a interpretação em lances subjetivos. Neste caso, são usadas câmeras em velocidade normal que ajudam a indicar se um jogador teve ou não a intenção de colocar a mão na bola, por exemplo.

Na Copa do Mundo, o árbitro de vídeo só poderá interferir em situações de “erros claros e óbvios”, como aponta a FIFA. No restante do jogo, o árbitro em campo só pode solicitar uma ajuda em lances capitais da partida, como faltas que podem impedir ou levar a um gol.

Não quer perder os jogos? Como colocar os jogos do Brasil na Copa em seu calendário automaticamente

O árbitro também será ajudado em lances de pênalti e de cartão vermelho, ou caso precisar identificar algum jogador. Nessas situações, ele deve se dirigir até a lateral do gramado e rever o lance para tomar suas próprias decisões, já que em muitos casos a decisão é subjetiva.

Linha de impedimento

Por não serem interpretativos, os lances de impedimento não exigem que o árbitro de campo vá até a tela para analisar o lance. Neste caso, a equipe de vídeo conta com a ajuda de linhas geradas por computador.

Segundo a FIFA, o resultado fica mais preciso graças à calibragem de vários ângulos de câmera sincronizados, um processo que é realizado antes de cada partida. Para definir a posição, o computador é capaz de considerar fatores relacionados às câmeras, como distorção da lente e curvatura de campo. Com todo esse equipamento, a FIFA espera que a Copa do Mundo de 2018 possa “oferecer justiça” dentro de campo.

Com informações: FIFA, CNET.