Financie isso: Aire A1, o smartphone com telas nas bordas, bateria “infinita” e especificações de high-end

Giovana Penatti
Por

Esse fim de ano não está sendo tão produtivo em termos de crowdfunding, mas hoje encontrei um aparelho que chamou minha atenção. Se trata do Project Aire, um smartphone que ainda vive no mundo das ideias – não há nem um protótipo, mas o projeto é bem atraente.

Ele é um smartphone com uma tela de 4,4 polegadas que se estende até as laterais e especificações que até ultrapassam as dos high-end do mercado hoje em alguns pontos.

aire 01

O Aire A1, que é como será batizado o produto final, terá resolução de 1920 x 1080 pixels, CPU ARM Cortex-A7 quad-core, GPU PowerVR SGX544MP2, 2,5 GB de RAM e 128 GB de armazenamento em flash. Ele também trabalha com reconhecimento biométrico e tem a melhor câmera frontal do mercado, de 8 MP e que filma a 1080p. A traseira tem 13 MP.

Há, ainda, compatibilidade com redes 4G LTE e Bluetooth 4.0. Na aparência, haverá mais de 100 cores (!) a escolher, o aparelho terá 0,9 cm de espessura e pesará 118 g.

A bateria, segundo a empresa, aguenta 48 horas se ser recarregada, mas dificilmente isso ocorrerá: ela funciona com energia solar, com placas de captação de luz posicionadas logo abaixo da tela. Pelo menos na teoria, a bateria sempre está carregando.

O sistema operacional para fazer com que ele aproveite todo o potencial de seus três lados sensíveis ao toque e sensores de aproximação é proprietário: o Aire OS 1.0, baseado no Linux, que fica dentro de um SoC separado chamado Oxien. O sistema permite que o usuário personalize os botões do aparelho como achar melhor; é possível até mesmo eliminar todos. As laterais também podem ser aproveitadas pelos aplicativos, como em jogos. E, para ter uma boa oferta de apps logo de cara, a Aire irá disponibilizar em breve o SDK do sistema para desenvolvedores.

O preço do Aire A1 é um dos pontos altos: ele deverá custar 245 dólares, bem humilde para o que ele promete, e, na campanha no Indiegogo, é possível garantir o seu por 150 dólares. A empresa espera conseguir 5 mil dólares em crowdfunding. Mesmo que não arrecade essa quantia, irá embolsar o que for arrecadado até o dia 22 de dezembro e quem contribuir receberá, obrigatoriamente, suas recompensas.

No entanto, o aparelho só deve ser lançado em 2015. E pode ser que, até lá, suas especificações não sejam mais tão impressionantes.

Por que é legal? Porque você vive pedindo um iPhone com 128 GB de armazenamento, então aí está um smartphone com toda essa capacidade e outras características bem singulares.

Por que é inovador? Não há só um motivo: a bateria recarregada por energia solar, a tela nas laterais, as praticamente infinitas possibilidades de personalização…

Por que é vanguarda? Todas essas inovações podem acabar inspirando outras marcas a adotarem-nas num futuro próximo. Exemplo: já até vimos um protótipo da Samsung com uma tela mais ou menos na lateral, mas o Aire A1 é o primeiro projeto que realmente explora todo esse potencial.

Vale o investimento? Mesmo com o lançamento longe, o preço da cota para receber o aparelho está ótimo. Mas também é possível contribuir com menos e ajudar no desenvolvimento da tecnologia.

Relacionados

Relacionados