Meio Bit » Fotografia » Facebook: excesso de censura ou os nerds deles não sabem reconhecer mulher. P.S.: CALMA!

Facebook: excesso de censura ou os nerds deles não sabem reconhecer mulher. P.S.: CALMA!

Falso positivo: a rede social do tio Zuck confunde cotovelo com seio feminino e censura foto.

8 anos atrás

notpeitos

Antes de tudo, CALMA! Ninguém surtou. Essa foto é completamente inocente, como qualquer um pode ver, menos os nerds do Facebook.

Ela foi subida para uma página pelo pessoal de uma revista web, para testar a teoria de que o reconhecimento de imagens “inapropriadas” do Facebook não era baseado em conteúdo real, mas só em aparência.

Não deu outra. Em alguns minutos a imagem ofensiva havia sido removida.

Alguns defendem a idéia de que a remoção foi um falso positivo de algoritmos automáticos de identificação de imagem. Outros dizem que há estagiários dedicados a avaliar as imagens marcadas pelo sistema, e então liberar ou bloquear.

Dada a quantidade de material educativo disponível online não faz mais sentido nerds terem dificuldade com anatomia feminina 2D, então tendo a achar que foi uma remoção algorítmica.

Isso não foi um caso isolado. Em agosto um vídeo da NASA mostrando o pouso da Curiosity foi removido por violação de direitos autorais de uma empresa de mídia, que havia usado o clipe original.

Em maio o programa do Jay Leno usou um vídeo do YouTube sem autorização. Tudo bem, o autor achou até legal, mas pra sua surpresa o vídeo foi… tirado da internet. Depois de veicular o vídeo os advogados da NBC assumiram que se passou no programa deles, é deles, e não importa que tivesse sido subido pro YouTube 3 anos atrás.

A ordem veio, foi obedecida e o infeliz que ralou, criou o conteúdo veiculado de graça ficou chupando dedo. Chegou a montar uma página de protesto, e legalmente é causa ganha, mas quem tem grana pra enfrentar a NBC?

O novo modelo de mídia que está se formando na internet não é compatível com a legislação arcaica de direitos autorais, e isso tende a piorar, pois a única forma de lidar com essas novas mídias é com muito bom-senso, qualidade escassa em advogados e robôs do Facebook.

Fonte: PP.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários