Meio Bit » Demais assuntos » Natalie Portman pelada! (ou: Viva o iTunes)

Natalie Portman pelada! (ou: Viva o iTunes)

13 anos atrás

meiobit-natalieportman.jpg

O grande zumzumzum (ou em inglês: Buzz) nas listas de discussão e sites especializados é o curta-metragem Hotel Chevalier, de Wes Anderson, que apresenta cenas da linda e tchuim Natalie Portman como veio ao mundo. Mas... WTF teria isso a ver com um site como o MeioBit?

Simples: O curta está disponível no iTunes. De graça. Não é bit torrent, não é eMule, não é nem Rapidshare.

Durante décadas o cinema nacional produziu curtas excelentes (e 90% de lixo) mas todos, tanto o lixo como a eventual exceção tinham o mesmo problema: Distribuição. Quem vai ao cinema hoje não sabe o horror que era, entrar em um cinema e ter que assistir um ou mais curta-metragens, financiados pela Embrafilme, antes do filme que nós efetivamente pagamos pra ver. Isso mesmo, éramos forçados a assistir. Era Lei.

Muitos cinemas indicavam "horários informais", com a real hora do começo do filme, e muita gente chegava "atrasado" para poder pular os curtas.

Essa exibição forçada só servia para criar antipatia para com os curtas.

Hoje com o YouTube um candidato a cineasta consegue divulgar seu trabalho para uma audiência enorme, mas em termos de qualidade não é lá essas coisas. Dadas as limitações orçamentárias do cinema nacional montar um site de download pode consumir entre 100% e 250% do orçamento da maioria dos curta-metragens, portanto isso é meio inviável.

Iniciativas como o Porta Curtas são fracas. Os filmes estão apenas em Windows Media, o que significa basicamente que a NOSSA grana, via Petrobras está promovendo um formato proprietário. Nada errado, se você disponibilizar em OUTROS formatos também. Coisa que não fazem. Na verdade os curtas do Porta Curtas estão disponíveis apenas em streaming, não há opção de download.

Se você disponibiliza a exibição gratuita, qual o problema em dar o passo lógico de disponibilizar o download, pombas? Sem contar que um acervo de 547 curtas é uma piada.

O iTunes resolve isso. Os filmes são organizados, há uma enorme quantidade de espaço para o cineasta "vender" seu peixe, os servidores são generosos e o vídeo fica na sua máquina, podendo ser visto tanto em seu iPod quanto em seu PC.

meiobit-itunes.jpg

Se a Apple tiver planos de longo prazo no Brasil, poderia muito bem incluir a estratégia de disponibilizar curta-metragens e mesmo filmes nacionais, inicialmente gratuitos, para criar o hábito e aumentar a base instalada. Eu adoraria ter Ilha das Flores e Trancado (por dentro) em meu iPod, com resolução decente, e o melhor, de forma Legal.

Como me contaram que o Steve Jobs lê o MeioBit, está dada a sugestão.

PS: Me contaram mas eu acho que estavam brincando.

relacionados


Comentários