Meio Bit » Demais assuntos » Camarão Assassino com armas de ficção científica

Camarão Assassino com armas de ficção científica

Que tal um camarão que mata suas presas com uma arma que pode ser desde uma pistola sônica até uma mini-bomba nuclear?

8 anos atrás

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Existe uma espécie de camarões gigantes chamados Camarão Louva-Deus. A parte surpreendente não é nem o tamanho, chegando ao comprimento de um braço humano, mas a forma com que matam suas presas.

Eles engatilham suas garras de caranguejo e as disparam em direção ao pobre-diabo que será o jantar. As garras se fecham com uma velocidade absurda, a aceleração medida chegou a 10.400 G. Isso gera uma onda de choque com força de 1.500 newtons. Colocando em perspectiva, UM kg na superfície da Terra exerce uma força de 9,81 N.

A presa é morta ou atordoada, e na pior das hipóteses acorda sendo desmembrada pelo camarão.

Essa pistola sônica de ondas de choque utiliza um efeito chamado supercavitação, que ocorre quando a água é aquecida acima de seu ponto de ebulição e forma bolhas instáveis. Uma onda sonora desestabiliza as bolhas fazendo com que elas implodam. Essa implosão é muito rápida, e gera efeitos muito, muito estranhos, entre eles a Sonoluminescência.

Conhecido desde os anos 30, é um fenômeno onde uma bolha em um líquido entra em colapso, implodindo e emitindo um flash de luz. Sim, nosso camarão além de disparar uma carga sônica, também dispara um flash, veja, em um mini-documentário da BBC sobre o camarão-pistola, uma versão menos metrossexual do Louva-Deus:

As primeiras pesquisas indicaram que a bolha implodindo atingia temperatura de 1 milhão de kelvins, mas medições atuais colocam esse número em meros e corriqueiros 20 mil kelvins. O problema é que ninguém sabe exatamente o que acontece ali.

Temos um fenômeno físico extremo, produzido por uma barata molhada e que desafia explicações. Alguns dizem que a água é momentaneamente separada em Hidrogênio e Oxigênio, apenas para entrar em combustão e se recombinar, gerando a luz.

Outros dizem que a luz é causada por ionização dos átomos dentro da bolha.

Explicações mais exóticos apelam para a energia do vácuo. As bolhas criariam uma versão do Efeito Casimir, fazendo com que fótons virtuais se tornem fótons reais e “passem a existir”.

Uma versão mais conservadora diz que as bolhas são apenas uma reação microscópica de fusão nuclear.

O mais legal de tudo é que o efeito é repetido rotineiramente em laboratório, onde inclusive é danado de bonito de se ver:

Uma última dica: nunca compre um camarão desses para seu aquário. Eles adoram cometer suicídio quebrando os vidros com suas armas sônicas.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários