Meio Bit » Games » Mass Effect

Mass Effect

13 anos atrás

A humanidade finalmente conseguiu desenvolver uma forma de se locomover no espaço mais rápido do que a luz e agora estamos vivendo (quase) em harmonia com seres alienígenas. Mesmo assim, apenas um humano poderá salvar todos os seres da extinção.

Saiba como ficou o jogo Mass Effect para Xbox 360, lendo nossa análise.

Quase um Star Wars

Parece chover no molhado, mas é praticamente impossível jogar Mass Effect e não lembrar da obra prima de George Lucas. No jogo você comandará um grupo que entre outras coisas deverá salvar o universo. As semelhanças são muitas, conflitos políticos, personagens com poderes paranormais, naves, mas mesmo assim o jogo possui suas particularidades e tornam sua história muito interessante.

O enredo do jogo diz que a cada 50 mil anos uma raça alienígena robótica elimina toda forma de vida da nossa galáxia. Embora tudo não passe de uma lenda, na pele de um soldado responsável por um esquadrão de elite, você deverá percorrer os quatro quantos do universo atrás de um renegado de mesma patente que a sua. Embora a premissa pareça simples e batida, a forma como a história se desenrola é fascinante e nos faz ficar vidrado no jogo a todo instante.

O menu do game possui uma opção chamada Codex, ela serve como uma espécie de enciclopédia e conforme vamos conversando ou adquirindo dados nos computadores, ela vai sendo incrementada. Acredite em mim, só esta seção do jogo possui conteúdo para horas de leitura.

Logo no início você deverá escolher seu personagem. O jogo lhe dá duas opções, jogar como o Comandante John Shepard, irmão de um personagem do Lost :), ou criar seu personagem do zero. Caso escolha a segunda opção, uma série de escolhas podem ser feitas, como o sexo do personagem, a classe e até a aparência. Tudo isso com muitas, mas muitas opções.

As inovações

Dois fatores em Mass Effect chamam a atenção. Um é o sistema de conversação. Esqueça aqueles jogos de RPG onde você clicar em um NPC e apenas ele fala. Aqui a sua opinião é levada em consideração e como. A produtora desenvolveu um sistema onde é possível interagir em tempo real com os personagens.

A coisa funciona mais ou menos assim; Após um NPC falar o que devia, é mostrada um círculo na parte inferior da tela onde você deve escolher entre diversas opções. Após suas escolha, o personagem controlado pelo computador responde e dessa forma a conversa se prossegue de forma natural, muito parecido com uma conversa de verdade. Esse sistema torna o jogo muito dinâmico e faz com que tenhamos de prestar bastante atenção nos diálogos sem que eles se tornem maçantes. Desta forma também o jogo vai "gerando o caráter" de seu comandado e libera ou bloqueia várias missões.

Exemplo do sistema de conversas do jogo

O segundo detalhe se deve ao sistema de batalhas. Em Mass Effect elas ocorrem também em tempo real. Tudo funciona como num jogo em terceira pessoa, com a câmera posicionada próxima ao ombro do protagonista e graças a isso é possível até se proteger atrás de objeto, assim como em Gears of War. Um exemplo que acho interessante do sistema do jogo foi em uma missão em que para prosseguir com mais facilidade eu acabei usando minhas habilidades como sniper para matar vários inimigos no alto de uma construção. E volto a dizer, aqui não é o computador que toma as decisões, eu escolhi a tática, eu escolhi a arma e eu fiz a mira. Deu para perceber que as missões podem ser feitas da forma que você achar melhor, não?

Você terá quatro tipos diferentes de armas para escolher: Um rifle de precisão, uma pistola, uma escopeta e um fuzil. Cada arma possui características totalmente diferente das outras como precisão, poder de fogo e número de tiros possíveis. Vale lembrar que aqui não é preciso se preocupar com munição, mas se você ficar atirando por muito tempo, as armas podem esquentar e causar travamento. Além do mais, você encontrará vários modelos de armas diferentes durante a aventura e caberá a você decidir qual é a melhor.

Quando eu disse lá em cima que você poderá escolher a classe de seu personagem, isso afetará diretamente nas batalhas. É possível optar por ser um Soldado, um Adepto, um Engenheiro ou um Infiltrado e dependendo de cada escolha, as batalhas ficarão mais voltadas para o uso de armas ou de poderes, que vão desde a levitação, até a manipulação de inimigos mecânicos.

Vídeo mostrando a classe Soldado em batalha

Vale mencionar que a qualquer momento você pode parar as batalhas para trocar de armas ou escolher algum poder para ser usado, tanto do protagonista quanto dos personagens controlados pelo computador.

Liberdade Total

Como você já deve ter notado, o jogo proporciona muita liberdade, tanto nas escolhas quanto na forma de realizar as tarefas, mas há ainda um pequeno grande detalhe que não mencionei. O seu título de Comandante não é meramente ilustrativo e isso quer dizer que você terá uma espaçonave toda sua, a Normandy. Caso não tenha ligado os pontos, como comandante de uma espaçonave, você poderá ir para (quase) qualquer lugar da galáxia.

A princípio, nem todos os planetas estarão disponíveis, mas essa lista vai aumentando conforme a história avança e dependendo das escolha que faça. Muitos planetas possuem cidades imensas, outros apenas algumas estações de pesquisas, mas no geral eles são muito diferentes entre si, desde a formação atmosférica até a aparência.

E além de da Normandy, você ainda terá o Mako, um veículo de médio porte e que permite que você se locomova na superfície dos planetas. Ele serve também como veículo de batalha e o protege da atmosfera nociva. O interessante é que você pode sair dele a qualquer momento e seguir viajem a pé, caso ache interessante ou precise entrar em alguma construção.

Isto faz com que a vida útil do jogo se torne imensa e proporciona missões fantásticas. Como esquecer por exemplo da missão na Lua (a nossa mesmo, essa aqui "bem pertinho") onde podemos ver o nosso planeta pelo mesmo ponto de vista de Neil Armstrong?.

Tecnicamente impecável

O trabalho feito pelos designers na produção do jogo é algo digno de elogios. Com gráficos lindos, o jogo impressiona pelo nível de detalhes, dos vidros das construções, ao detalhes das armaduras e armas, passando pelas texturas dos objetos e rostos dos personagens, tudo em Mass Effect é incrívelmente detalhado.

Mesmo assim há algumas falhas, como as pequenas "travadas" no framerate ou os movimentos dos olhos dos personagens que não parecem reais. Outro ponto negativo é o pequeno tempo que o game demora para carregar as texturas todas as vezes que mudamos de ambiente. Isso não demora mais que um segundo, mas é evidente. De qualquer maneira, nada disso chega a diminuir a qualidade visual do game, muito menos a prejudicar a diversão.

A parte sonora também é um espetáculo. Com músicas orquestradas belíssimas e que não perdem em nada para as melhores composições do cinema, o game ainda conta com diálogos dublados para todos os personagens. Esse trabalho é primoroso e é nítida a diferença na forma de falar das diversas raças alienígenas. E lembre-se que aqui as conversas não são fixas como na maioria dos RPGs e a quantidade de conversa é realmente gigantesca.

O jogo é um bom exemplo de que muita coisa boa ainda pode aparecer nos jogos em DVD9 e só torna o comentário de Hideo Kojima mais duvidoso.

Para disfarçar um pouco os loadings, a maioria das transições entre áreas é feita através de elevadores. Embora se trate de uma saída interessante, após um tempo é comum ficar "de saco cheio" com o método. Para dar uma amenizada em tal efeito, a produção inseriu alguns diálogos entre os personagens que complementam a história, além de alguns anúncios no sistema de rádio, que inclusive adicionam algumas missões.

Mass Effect é um jogo impecável. Da mesma forma que irá agradar aqueles que não tem muita paciência com RPGs, é um prato cheio para os jogadores mais hardcore. Mas o título só será aproveitado em sua plenitude por aqueles que gostam de exploração.

Na minha opinião, o trabalho realizado aqui pela Bioware só a consolida ainda mais como melhor produtora de RPGs da atualidade.

- Um dos melhores sistemas de conversação da história dos games;
- Sistema de batalha dinâmico e que não se torna cansativo;
- Gráfica e sonoramente fantástico;
- Horas e horas de diálogos dublados (e bem dublados);
- Milhares de combinações e configurações diferentes para os personagens, graças as armas;
- Poder conhecer vários planetas;
- Um dos maiores e mais complexos jogos já criados, desde que assim você queira jogá-lo.

- Algumas batalhas possuem a dificuldade desbalanceada;
- Infelizmente nem todos vasculharão o game como ele merece;
- Você ficará com trauma de elevadores.

relacionados


Comentários