Meio Bit » Games » Breath of Fire 6: um novo RPG para novos tempos, para o bem e para o mal

Breath of Fire 6: um novo RPG para novos tempos, para o bem e para o mal

Capcom introduzirá em Breath of Fire 6 várias mudanças profundas, tanto no sistema de jogo quanto no cast de personagens: nem o protagonista Ryu escapou

8 anos atrás

Breath of Fire 6

Quando a Capcom anunciou Breath of Fire 6: Guardians of the White Dragon para o ano que vem, muita gente que é fã da série de JRPGs da Capcom comemorou. Seria uma forma de esquecer o passoerrado com BoF V: Dragon Quarter, o quinto título que não vendeu muito bem por se distanciar demais do estilo já consagrado da série. Porém ao descobrirem que se trata de um game mobile para smartphones, tablets e navegadores, além de ser declarado como um jogo "fácil" pela desenvolvedora a chiadeira foi geral.

Apesar das reclamações a Capcom tem certas razão ao tentar refazer a série de modo a atrair mais fãs, já que o último título oficial desagradou o público e os últimos quatro games, todos spin-offs mobile de BoF IV atraíram o público. Mas agora que a empresa atualizou o site com novas informações, algumas coisas preocupantes e outras interessantes vieram à tona.

Uma das decisões envolvendo BoF 6 que está desagradando muita gente é a mudança da peça-chave central: pela primeira vez o protagonista do game não será um garoto da linhagem dos dragões chamado Ryu, mas um personagem criado pelo jogador. A decisão foi tomada para criar um vínculo entre o gamer e seu personagem, que ainda assim mantém as ligações draconianas (até porque, se assim não fosse o título perderia o sentido).

Algumas opções de customização do personagem principal

Da mesma forma, duas novas personagens (exibidas na imagem abaixo) foram reveladas: à esquerda temos nossa velha conhecida Nina, a mais nova encarnação da recorrente princesa do Reino de Wyndia em outros títulos. Entretanto as coisas mudaram, as outrora belas asas que suas antecessoras possuíam dançaram de vez. Ela é descrita como "descendente do clã das aves", o que pode significar que suas asas possam vir à aparecer. À direita temos a nova personagem Peridot, encarregada de resgatar o herói/heroína da vila de Dragnier, onde ele/ela mora. Acontece que essa cidade é recorrente nos três primeiros títulos da série, ainda que tenha aparecido com variações no nome.

Nina e Peridot

Outras informações dizem respeito à jogabilidade do game, que é voltada à simplicidade, com ações touch e menus descomplicados. Além disso os outros personagens de seu grupo serão controlados pela IA do game, muito provavelmente sendo aberta apenas a possibilidade de customizá-los (talvez algo como em Final Fantasy XIII). Além disso há uma controversa função de construção de cidades, que indica a possibilidade do game ser um free-to-play com microtransações. Como ele conta com função cross-play (os saves ficarão guardados na nuvem e serão compartilhados entre plataformas), esta não é uma possibilidade tão incomum.

Eu sinceramente não sei o que pensar. Por um lado acho este game mais interessante do que BoF V, mas por outro fico com o pé atrás com a possibilidade da Capcom aniquilar a franquia de vez com um passo muito mal dado.

Fonte: BoF 6 (site oficial) via DToid.

relacionados


Comentários