Meio Bit » Hardware » Google estaria pressionando fabricantes a adotarem versões recentes do Android

Google estaria pressionando fabricantes a adotarem versões recentes do Android

De acordo com documento condição para lançar aparelhos com o Google Mobile Services seria adotar versões recentes do Android; 4.1 Jelly Bean já estaria fora

6 anos e meio atrás

droid-kitkat

O Google obviamente reconhece que permitir que os fabricantes e as operadoras ditem as regras da adoção e atualização do Android foi um tremendo tiro no pé que prejudicou por muito tempo a imagem do robozinho. Esse é um dos principais argumentos que usuários de iGadgets usam em comparação ao iOS, que mesmo aos trancos e barrancos roda no iPhone 4, um hardware fora de linha (em partes) que recebeu a atualização para a última versão, a despeito dos seus quarenta e quatro meses de idade. Já Mountain View fixou a vida útil de um aparelho Android em dezoito meses, o que impediu o Galaxy Nexus de receber oficialmente o Android 4.4 KitKat.

Só que desde que Sundar Pichai assumiu a divisão Android as coisas tem mudado. O Google Experience, a iniciativa de instalar o Android puro nos aparelhos de seus parceiros e com isso deixar as atualizações a cargo do Google tem dado muito certo. Até o momento os dispositivos participantes são o Galaxy S4, o HTC One, o Sony Xperia Z Ultrae o tablet LG G Pad 8.3. O Moto G foi a mais recente adição ao programa. Além disso há informes de que acordos foram firmados com a Samsung de modo a deixar a interface TouchWiz mais próxima do Android stock.

Só que isso não é o bastante, e segundo um documento vazado o Google estaria colocando condições aos fabricantes que quiserem se manter no programa e lançar dispositivos com o chamado Google Mobile Services (constituído por Google Play e Google Apps): para ter acesso às aplicações o parceiro terá que instalar versões mais recentes do Android, e a janela de aprovação está fechando:

android-gms-windows-close

De acordo com o cronograma todas as versões até o 4.1 Jelly Bean morreram, já que a janela de adoção deles se encerrou no último dia 1º. Só que o período de aprovação de outras versões não é necessariamente longo: o Android 4.2 se encerrará no dia 24 de abril e o 4.3 encontrará seu fim em 31 de julho. O Android 4.4 KitKat não tem prazo de encerramento até porque a próxima versão do robozinho verde ainda não foi lançada.

Se isso for verdade, ainda que tenha vindo atrasado é um esforço importante, até para manter os aparelhos ao menos atualizados no momento em que saem das lojas. Agora mantê-los atualizados é outra coisa, e seria bom se o Google tivesse uma política de incentivo (ou pressão mesmo) para manter os fabricantes na linha e não sucatearem os aparelhos em prol de modelos novos, como fazia a Motorola no passado, algo que a HTC repetiu recentemente.

Fonte: PA.

relacionados


Comentários