Meio Bit » Internet » Você pode confiar na Wikipédia? Spoiler: não

Você pode confiar na Wikipédia? Spoiler: não

Você confia na Wikipédia? Maus exemplos de edições em artigos não faltam por lá, até mesmo animais da fauna brasileira já tiveram seus nomes trocados hoje em dia e não é raro jornais utilizarem dados fantasiosos em obituários, tamanha é a confiança depositada na Wikipédia por muitas pessoas.

6 anos atrás

Wikipedia

Muito tempo atrás, quando eu era professor de física numa galáxia muito distante, estava dando uma olhada em um trabalho de biologia que um grupo de alunos iria entregar para o professor da aula seguinte.

Era um trabalho sobre AIDS e comecei a ler, me assustando a cada parágrafo. Eles simplesmente usaram o bom e velho CTRL+C CTRL+V em alguma página da Wikipedia. O problema é que a página era sobre algum grupo obscuro que defendia que a AIDS não existe e é causada pelos medicamentos utilizados para tratá-la.

Claro que os alunos não tiveram capacidade mental de perceber isso e copiaram tudo a partir do parágrafo que começava a explicar o que é a doença segundo o grupo obscuro.

Se o problema fosse apenas a preguiça dos alunos, menos mal, mas a Wikipedia, por sua característica colaborativa, é um prato cheio para quem quer sacanear os desavisados e, conforme o assunto, só mesmo um especialista na área para detectar o que é verdade ou não.

Um de muitos exemplos veio à tona essa semana, quando um usuário do Reddit postou a imagem abaixo:

Reddit

Eu e um amigo costumávamos pegar no pé de um colega de aula de origem árabe chamado Azid. Nós editamos a página da Wikipedia sobre a receita de Galinha Korma e acrescentamos o nome dele como ingrediente e nome alternativo para o prato. Quatro anos depois Azid ainda é citado como ingrediente em sites e livros de receitas.

Esse fenômeno, mais comum do que se imagina, se chama citogênese.

Quando uma informação sem fontes é editada ou mesmo um artigo na mesma situação é criado, são acrescentados aqueles avisos que você já deve ter visto, falando da falta das mesmas. O problema é que muitas vezes esses artigos são reproduzidos ou citados em sites, e esses sites são utilizados como fonte do artigo ou informação fictícios originais, em um loop que legitima a falsa informação.

Outra prática comum é fazer a edição e depois vandalizar as imagens, como no caso da inventora do alisador de cabelos, a popular chapinha, C. J. Walker. Em 2006 alguém trocou o nome para Erica Feldman e outra pessoa em seguida trocou a imagem por uma escatológica com a legenda “Yo Mama”. Outras imagens do tipo foram acrescentadas, e em seguida alguém da turma de fanboys da Wikipedia veio e removeu as imagens, restaurando as originais.

Detalhe: o nome trocado passou despercebido, e essa é uma prática comum, mudar os dados e alterar as imagens para chamar a atenção, fazendo com que o alvo inicial da edição passe despercebido.

Outra edição semelhante foi feita alterando o nome de Erica Feldman para Mr. Gutgold, utilizando-se da mesma técnica. Resultado? Hoje é possível encontrar os dois nomes como inventores da chapinha, inclusive em livros, e o nome da inventora de fato desapareceu da internet.

Exemplos não faltam, até mesmo animais da fauna brasileira já tem seus nomes trocados hoje em dia e não é raro jornais utilizarem dados fantasiosos em obituários, tanta é a confiança depositada na Wikipédia.

A lição que fica é não confiar na Wikipédia e utilizá-la no máximo para procurar fontes confiáveis sobre o assunto pesquisado, como você provavelmente deveria ter aprendido naquela aula sobre método científico na faculdade.

Fonte: Wikipediocracy.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários