Meio Bit » Hardware » Impressora do Missão Impossível. Tão inútil que deve ser arte

Impressora do Missão Impossível. Tão inútil que deve ser arte

Da série Coisas Divertidas e Inúteis: um artista criou uma impressora que produz imagens que se autodestroem depois de alguns segundos. Uma espécie de Snapchat de papel…

6 anos atrás

49265db297e4ae00a7655b5e2724de28b54ef7c2

Em Missão Impossível (o seriado dos Anos 60, não os filmes com Tom Cruise correndo) a história geralmente começava com o agente encontrando um gravador com os detalhes da missão. Ao final a gravação dizia “Esta mensagem se autodestruirá em 5 segundos. Boa sorte.”.

A idéia de uma mensagem que só poderia ser ouvida uma vez era ficção científica em 1966 mas em 2014 é pura realidade, ao menos é o que pensam os usuários do Snapchat (tolinhos). Em teoria o formato eletrônico seria mais eficiente para criar um formato de mensagem com um mecanismo de autodestruição, mas não é o que se vê. Desde mecanismos de captura e armazenamento de telas contornando as proteções do Snapchat, até soluções simples como fotografar a tela.

Inspirado nisso o artista mexicano Diego Trujillo Pisanty criou uma peça chamada “Esta gravação se autodestruirá”, esta trapizomba aqui:

ecsaTop

O negócio mistura uma impressora térmica com um sistema que espalha glicerol e potássio, gerando uma reação exotérmica que aquece o papel até o ponto de ignição, destruindo para sempre o material impresso. Veja o vídeo:

This Tape will Self Destruct from Diego Trujillo

Sim, é inútil, mas é legal, características que definem a boa arte.

Diego criou outra peça bem divertida: a Bomba-Relógio de 300 Anos, uma instalação que conta o tempo em segundos até a detonação, 298 anos no futuro.

Fonte: EG.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários