Meio Bit » Hardware e periféricos » Projeto picareta migra para o Indiegogo após ser chutado do Kickstarter

Projeto picareta migra para o Indiegogo após ser chutado do Kickstarter

Após o Anonabox, roteador open-source ser banido do Kickstarter devido diversas denúncias de fraude, criador do projeto leva a campanha para o Indiegogo

6 anos atrás

anonabox

Picaretas existem em todos os lugares, isso é um fato. O crescimento da popularidade do crowdfunding através de serviços como Kickstarter, Indiegogo, Catarse e outros atraiu muita gente mal intencionada, com projetos mirabolantes a fim de arrecadar uma grande quantidade de grana e depois picar a mula.

O Kickstarter já lidou com casos assim, desde projetos que falharam em atender o prometido por incompetência até fraudes mesmo. O mais recente é o Anonabox, um suposto roteador open-source baseado em Tor (que não está com a bola toda atualmente) para prover navegação anônima a leigos, que depois de diversas denúncias de irregularidade foi chutado do site. Só que o criador August Germar já encontrou nova casa no Indiegogo, e está novamente arrecadando dinheiro.

O projeto inicial previa um financiamento de US$ 7,5 mil, entretanto o roteador conseguiu amealhar mais de US$ 585 mil em pouco tempo. Foi aí que os problemas começaram: Germar alega que o Anonabox é um projeto seu criado do zero, mas diversos apoiadores fizeram o dever de casa e encontraram designs e componentes idênticos na internet oriundos de uma fornecedora chinesa, além da controvérsia em torno do código-fonte: Germar diz que o projeto é completamente livre, embora se baseie no Tor para apagar os rastros do usuário. Entretanto a única coisa que ele fornece em seu site é um set de arquivos de configuração, e não o código em si.

Para piorar a situação usuários do Reddit descobriram a senha root do aparelho: “developer”, o que faz dele tão seguro quanto um castelo de cartas. Ao ser questionado ele respondeu que a senha é essa “porque apenas desenvolvedores deveriam ter acesso ao código” (ou ele é muito ingênuo ou acha que os clientes são idiotas. Eu acredito piamente na segunda opção). A conclusão da comunidade é que qualquer um com conhecimento razoável poderia montar um Anonabox (mais seguro obviamente), e que Germar estava tentando levantar uma grana fácil.

Conclusão: a campanha foi congelada e o dinheiro dos backers devolvido. Só que o picareta não se deu por vencido e levou o Anonabox para o Indiegogo. E provando a máxima de que quando um malandro e um otário se encontram há um negócio, o projeto se financiou em pouco tempo, arrecadando mais de 19 mil dólares dos US$ 13.370 mil pretendidos.

Germar está afirmando que o Anonabox foi melhorado em relação à campanha anterior, mas a comunidade está escaldada com ele: sua declaração de que faz parte do Tor como admin de uma página de discussão no LinkedIn foi prontamente desmentida por Runa Sandvik, que é membro do projeto:

O grande problema é que se por um lado o Kickstarter está se blindando contra fraudes e projetos fracassados, por outro o Indiegogo finge que não vê, conta a grana e agradece, já que não são raras as vezes em que projetos controversos e claramente fraudulentos pintam por lá, vide o SkyCar de Peter Moller. Isso abala a confiança do site, mas aparentemente eles não estão muito preocupados com isso.

Fonte: DD.

relacionados


Comentários