Meio Bit » Hardware e periféricos » New York vai construir 10 mil postes Wi-Fi para prover internet pública gratuita

New York vai construir 10 mil postes Wi-Fi para prover internet pública gratuita

Internet gratuita para todos: prefeitura de New York apresenta o LinkNYC e diz que esse será o projeto com a maior e mais rápida rede Wi-Fi municipal do mundo.

6 anos atrás

watch-dogs-boxart-wallpaper_edit_670

Em um projeto futurista, os gestores públicos pretendem transformar a cidade de New York em um campo de batalha de Watch Dogs.

Ok, não é isso. É muito, muito mais legal e realista que isso.

O LinkNYC pretende instalar consoles que irão prover internet Wi-Fi, gratuita, 24 horas por dia, 7 dias por semana, com velocidades na faixa dos gigabits! Mas como? Trocando os orelhões/cabines telefônicas da cidade pelas estações digitais! Genial né?

i-dont-wanna-go-pre-1

Ok… calma. Respira. Tatu do bem. Eu disse cabine telefônica, não cabine policial.

Que tal mais recursos legais pra ver se C-E-R-T-A-S---P-E-S-S-O-A-S se animam?

Esse poste também vai oferecer a possibilidade de se fazer ligações locais (incluindo chamadas para polícia e bombeiros), tomadas para carregamento de bateria para smartphones e um tablet touchscreen Android para acessar serviços da cidade, buscar mapas e trajetos e outras funções que eles pretendem desenvolver no futuro. Não, viagem no tempo não está incluso. Ainda.

E com qual verba eles vão fazer isso? Com barras de ouro que valem muito mais que dinheiro!! Mentira, como quase tudo que se relaciona com internet, a grana virá de publicidade. Note nas imagens abaixo as versões comercial (para ruas e empresas) e doméstica.

both_link_modules.0

Na versão comercial, existem grandes telas dos dois lados, que serão utilizadas para veicular promoções e banners virtuais. O que isso significa, em outras palavras: sem custo adicional para os moradores, tampouco um “imposto Wi-Fi”. O projeto tem o potencial de gerar mais de US$ 500 milhões para os cofres da cidade de New York já no primeiro ano de implantação.

Ok, bonito, mas criar uma rede Wi-Fi na faixa dos gigabits pode trazer alguns problemas e questionamentos, já que que as redes convencionais de hoje em dia e principalmente gadgets como smartphones e tablets ainda não suportam esse tipo de conexão.

Essa informação veio do Press Kit oficial, mas acredito que esse detalhamento ainda não tenha sido feito. Coisas como qual padrão Wi-Fi a ser usado não estão explícitas. Sabemos, por exemplo, que o 802.11ac não funciona em vários produtos ainda. Penso que quando citaram gigabits, eles estavam falando do tipo de rede que vai chegar ao poste. Possivelmente ele vá oferecer métodos comuns de conexão entre os dispositivos móveis e a estação. Aí faz mais sentido.

features_keywifi

Se vai ter gente nos apartamentos próximos conectados o dia inteiro de seus computadores, baixando pr0n? Sim ou claro? Agora, será que isso será mesmo um problema? Em uma rede assim, um filme HD de duas horas pode ser baixado em menos de 30 segundos. É muito provável que você vai conseguir achar a Apple Store da 5ª Avenida no Maps do seu aparelho sem maiores problemas. Ainda assim, trata-se de uma rede aberta. Tome cuidado ao acessar informações confidenciais e online banking enquanto estiver navegando por dentro dessa rede, nunca é demais lembrar.

Se esses postes poderão ser atualizados no futuro, tanto em hardware quanto em software, ainda não se sabe. Espero que sim. Escalabilidade é uma das palavras mais ditas em congressos de TI nos EUA, não é possível que esse detalhe fique de fora.

Vamos aos mais importante: quando que essa rede vai estar funcionando? Segundo a prefeitura, as primeiras unidades serão instaladas na segunda metade de 2015. O objetivo final é colocar 10 mil postes espalhados por todas as 5 grandes áreas de NY, incluindo a Big Apple, claro.

Lembro aqui que algumas cidades brasileiras já possuem modelos de distribuição de internet gratuita. Em outros moldes, evidentemente, mas já existe. De qualquer forma, vocês acham que a aplicação de um LinkNYC funcionaria no Brasil?

Fonte: CityBridge e BI.

relacionados


Comentários