Meio Bit » Games » Fãs são proibidos de criar remake do Vampire: The Masquerade - Bloodlines

Fãs são proibidos de criar remake do Vampire: The Masquerade - Bloodlines

Depois de trabalhar por um ano na criação de um remake do Vampire: The Masquerade - Bloodlines, fãs são impedidos pela CCP Games de dar continuidade ao projeto.

7 anos atrás

vampire

Quando foi lá lançado, no longínquo ano de 2004, o Vampire: The Masquerade – Bloodlines causou um misto de euforia e decepção em muita gente. O jogo trazia uma série de boas ideias, uma excelente narrativa e um nível de imersão inacreditável, mas tanta ambição também gerou um título cheio de problemas e por mais que os fãs tenham tentado arrumar a maioria deles, o tempo não foi muito gentil com a criação da Troika Games.

Visando melhorar o RPG em primeira pessoa, um grupo deu início ao Project Vaulderie, um remake que há cerca de uma ano estava sendo feito com a engine Unity, mas como eles informaram no site do projeto, quando os envolvidos se preparavam para enviar um pedido de autorização para a Activision, empresa que imaginavam ser os detentores dos direitos sobre a franquia, eles receberam um email da CCP Games exigindo que parassem.

Estamos muito tristes em informar que recebemos um email da CCP Games nos pedindo para parar o desenvolvimento do jogo, a remoção de qualquer material que contenha Vampire: The Masquerade – Bloodlines, nomes, locações ou elementos relacionados dos sites que controlamos e interrompermos qualquer uso futuro da propriedade Vampire: The Masquerade – Bloodlines,” explicou um dos líderes do projeto através de uma espécie de carta de despedida. “Tudo isso invalida nosso esforço e o sentido de todo o projeto: um remake do Vampire: The Masquerade – Bloodlines não pode ser um remake sem seus conteúdos originais.

O pior de tudo é que os envolvidos com o Project Vaulderie juram que não pretendia lucrar com a criação e que os interessados obrigatoriamente precisariam do original para poder jogar o remake e como nenhum outro jogo baseado na franquia foi anunciado, isso torna a atitude da CCP ainda mais antipática.

Sendo assim, a melhor opção para aqueles que quiserem conhecer o Bloodlines ainda é adquirir uma versão em um serviço de distribuição digital como o Steam e utilizar o patch não oficial que ainda recebe atualizações, tentando ignorar os problemas que eventualmente acontecerão e aproveitando a boa história que o jogo pode nos oferecer.

É uma pena que algumas empresas ainda encarem os mods e remakes desta maneira e eu não esperava essa posição vindo da CCP Games, uma desenvolvedora que costuma lidar muito bem com a comunidade do seu principal produto, o EVE Online.

Fonte: GamesIndustry.

relacionados


Comentários