Meio Bit » Mercado » Executivo do Google esquece o que é capitalismo e ataca preços da Apple

Executivo do Google esquece o que é capitalismo e ataca preços da Apple

Executivo do Google diz que Apple é malvada. Até aí nenhuma novidade. A graça dessa vez é o motivo. O sujeito, que pelo visto desconhece o conceito de segmentação, reclama que os produtos são… caros.

5 anos atrás

militante

Uma vez uma conhecida minha pedagoga sindicalista reclamou que havia saído pra comprar um negócio, foi em várias lojas, cada uma tinha um preço diferente. Disse que o Governo deveria determinar o preço assim ela não perderia tempo batendo perna.

Ela obviamente esqueceu do templo do Plano Cruzado, com congelamento de preços, ágio, escassez de produtos, etc. Também esqueceu toda a história da Europa Oriental, e como durante mais de 20 anos o Lada não mudou um parafuso. 20 anos era aliás o prazo de entrega.

No mundo real lojas têm custos diferentes, margens de lucro diferentes, valores agregados diferentes. Isso é economia básica, mas escapou à minha amiga e escapou a Sundar Pichai, chefe de produto do Google. 

Em uma entrevista para a Forbes ele falou da diferença na abordagem entre o Google e a Apple.

Os usuários usam nossos serviços por opção. São produtos muito amados. Temos muitos, muitos produtos com mais de um bilhão de usuários. Eles proveem um monte de valor, e nós disponibilizados muitos desses serviços de graça

Que lindo. Uma lágrima comunista escorre pelo meu rosto. Vou fingir que o Google não fatura vendendo dados demográficos e exibição de anúncios. Pela lógica de Pichai a Globo também é uma ONG como o Google, pois não cobra nada ao exibir sua programação para os espectadores.

Esquecendo que fabricantes Android também têm aparelhos premium, continuou:

É um pouco irresponsável dizer que tudo deve custar várias centenas de dólares, [como os produtos da Apple]

Bem, Pichai, então eu acho que tenho um problema. Me acompanhe.

Aston_Martin-DB9_Volante-2009-1024-03

Este é um Aston Martin DB9 Volante, meu sonho de consumo. Será adquirido assim que Hollywood comprar os direitos de meu livro. Custa US$ 200 mil, com loura opcional. Não é o mais caro mas também não é o mais barato, esse título é do V8 Vantage, aquele lixo, meros US$ 98 mil.

Só que eu não posso mais comprar um Aston, a empresa é, segundo Sundar Pichai, IR RES PON SÁ VEL. Por não oferecer produtos atendendo todos os segmentos de mercado. Se eu comprar um Aston, estaria sendo conivente. CO NI VEN TE.

O problema, Pichai, é que nem todo mundo é obrigado a seguir o seu modelo de negócios, ele não é o único e não é o único correto. A Apple vende equipamentos caros, oferecendo extrema qualidade, cuidado quase patológico nos detalhes e uma maçã que brilha. Os Androids topo de Linha, os Lumias high-end, que custam tanto quando um iPhone estão na mesma faixa de preço.

A Apple, ao contrário do Google não é uma ONG. Mesmo assim o consumidor dela tem a mesma prerrogativa do seu, Pichai: NINGUÉM obrigou o sujeito a comprar um iPad, um iPod ou um iPhone. Tim Cook não colocou uma arma na cabeça de todo mundo que gastou uma baba em um MacBook.

Muitas das críticas à Apple são verdadeiras, mas é no mínimo ingenuidade reclamar da escolha de segmento de atuação. Se for assim a Ferrari até ser vendida à FIAT era extremamente irresponsável, mas agora, como uma espécie de Crédito de Carbono da Pobreza compensa cada LaFerrari produzida com Fiats Unos.

Pichai quer que a Apple lance um iPobre, com direito a app avisando quando cai o Bolsa Família. Não vai acontecer. Todo mundo lembra quando saiu o iPhone 5c e todo mundo caiu de pau. Apple popular não rola.

No final fica a preocupação de que o chefe de produto de uma das maiores empresas do mundo não entenda que software e serviços são diferentes de hardware, e que comunismo, como roupas tamanho único só garante que todos ficarão desconfortáveis.

Fonte: CNet.

relacionados


Comentários