Meio Bit » Áudio e vídeo » Better Call Saul: a resenha de uma 1ª temporada épica (sem spoilers, procure meu advogado)

Better Call Saul: a resenha de uma 1ª temporada épica (sem spoilers, procure meu advogado)

Apesar de ser uma série prólogo, Better Call Saul em alguns momentos consegue superar Breaking Bad, e as perspectivas para as próximas temporadas são as melhores possíveis. Os motivos são os personagens incríveis e uma história sensacional. Leia nossa resenha no MB Pop para entender a razão de tanta empolgação.

5 anos atrás

better_call_saul_1

Depois de assistir a primeira temporada de Better Call Saul, fiquei pensando em como escrever um texto que não entregasse nenhum detalhe da série, mas ao mesmo tempo fizesse justiça a incrível união de talentos que a tornou possível. É complicado, mas antes de mais nada, preciso dizer que Vince Gilligan e Peter Gould estão de parabéns pelo que fizeram em apenas 10 episódios. Meu conselho sincero é que você pare de ler estas linhas e comece a assistir agora mesmo, sério, é bom assim.

Better Call Saul é um prólogo (ou prelúdio) a Breaking Bad, mas a série se passa em três épocas diferentes. Apesar do nome da série, a primeira temporada não é sobre Saul Goodman, apesar de nos explicar todas as circunstâncias que transformaram James McGill, ou Slippin' Jimmy, em Saul. A série começa com cenas do presente pós-Breaking Bad, e também mostra a juventude de Jimmy. A maior parte das ações se passa durante o tempo em que Saul tenta a sorte como advogado em Albuquerque, enquanto cuida de seu irmão Chuck.

Se muitos esperavam por uma série simples, criada para consolar os fãs depois do final de Breaking Bad, o que se viu na tela foi algo épico, digno de um Sergio Leone com diálogos de um Tarantino. Em Better Call Saul a ação é muito mais direta, não tem enrolação de algumas partes das primeiras temporadas de Breaking Bad. É como se a série já começasse em alta velocidade, e desde os primeiros episódios já deixa os espectadores sem fôlego. A primeira temporada de Better Call Saul é uma melhores que eu já vi, com um arco perfeito de seu início até o final, incluindo uma transformação completa no seu personagem principal. Outra coisa em comum com Breaking Bad é a excelente trilha sonora, que realmente valoriza o que acontece na tela.

Better Call Saul não apenas nos apresenta a sua origem de Saul Goodman (Jimmy McGill) mas também para o sensacional Mike Ehrmantraut, que parece ser um simples policial aposentado, mas que ao longo da série nos mostra por quais motivos ele irá se tornar o hitman Bad Motherfucker de Gus Fring em Breaking Bad. Pra mim, alguns dos melhores episódios da temporada foram os focados no Mike, desde sempre um dos meus personagens favoritos do universo criado por Vince Gilligan. Desde os primeiros episódios, é ótimo ver o ator Jonathan Banks em ação como Mike, mesmo enquanto ele ainda estava apenas perturbando a vida de Jimmy.

better_call_saul_atores

Outro motivo para assistir a série é o elenco, que é de primeiríssima qualidade. Além de Odenkirk e Banks soltando faíscas em cena como Jimmy e Mike, a série nos apresenta personagens que conseguem ser inacreditavelmente surreais e reais ao mesmo tempo, como Chuck, o irmão de quem Jimmy cuida com carinho, ou Kim, a advogada que manda no coração e na sua consciência, interpretados por Michael McKean e Rhea Seehorn, respectivamente. Outro ator que merece elogios é Patrick Fabian, que interpreta de forma odiosa o sócio de Chuck, Howard Hamlin. Bob Odenkirk merece um capítulo à parte, ele é uma força da natureza na tela, trazendo humor e leveza ao personagem Jimmy, mesmo em cenas profundamente densas e dramáticas. Durante esta temporada, acabei de assistir vários episódios impressionado por seu talento como ator, e em pelo menos um deles, rindo durante vários minutos sem parar.

Até aqui este review não teve (quase) nenhum spoiler, mas se você não assistiu a primeira temporada, sugiro que você não leia este (e nem o próximo) parágrafo, se não quiser saber de algumas citações diretas de Better Call Saul a Breaking Bad que eu simplesmente não posso ignorar neste momento. Não é nada grave, mas… Bem, fica o aviso. Um personagem que aparece logo nos primeiros episódios é o gangster Nacho Ignacio Varga, o Nacho, que trabalha pra Tuco Salamanca, sobrinho do Hector, e que acaba sendo uma influência negativa na vida de Jimmy. Depois de fazer algumas referências a Breaking Bad, GTA V foi homenageada no nono episódio de Better Call Saul, com a (rápida) participação no nono episódio de um personagem claramente inspirado em Trevor Philips, interpretado pelo dublador Steven Ogg, que tem a infelicidade de cruzar com Mike Ehrmantraut.

Pule para o próximo parágrafo se ainda não tiver assistido os 10 episódios de Better Call Saul! Com a primeira temporada completa, a transformação de Jimmy em Saul, passando de um golpista para advogado, e finalmente em um advogado golpista faz todo o sentido do mundo, e é incrível como tudo foi tão bem resolvido pelos roteiristas. Já no quarto episódio, Jimmy está escolhendo uma roupa para uma estratégia agressiva de marketing pessoal quando dá uma olhada na camisa laranja com gravata rosa que se tornará o uniforme oficial de Saul Goodman, que deve surgir na próxima temporada. Uma vez dentro do carro em Breaking Bad, Saul contou a Walter White que convenceu uma mulher de que ele era Kevin Costner, e no finale de Better Call Saul, finalmente podemos ver como esta cena antológica aconteceu. Seu amigo Marco é um personagem incrível, que acaba sendo uma grande influência na criação de Saul. 

better_call_saul_2

Pronto, quem não assistiu pode voltar a ler! Os autores conseguiram criar toda uma nova mitologia para estes personagens maravilhosos, fazendo a alegria de quem assistiu Breaking Bad, mas Better Call Saul é uma série que se basta, e pode funcionar incrivelmente bem até mesmo para quem nunca ouviu falar de Jesse Pinkman e Walter White. Vince Gilligan e Peter Gould mostram (mais uma vez) que é possível atingir um nível de obra de arte na televisão.

Se você ainda não começou, sugiro começar hoje mesmo, já que os 10 primeiros episódios da série estão disponíveis no Netflix Brasil. Agora se você já assistiu tudo, também deve estar pensando que 365 dias são longos demais para esperar a volta de Mike e Jimmy, então que tal assistir a primeira temporada novamente ou rever algumas cenas dos seus personagens favoritos em Breaking Bad?

Saiba mais sobre Better Call Saul na AMC.

Além de serem propositalmente de péssima qualidade, as aberturas são diferentes a cada episódio, fazendo uma piada com a qualidade de produção das aberturas das séries de hoje em dia. Elas são sempre de péssimo gosto, como você pode ver nesta pequena compilação feita pelo Hitflix.

relacionados


Comentários