Meio Bit » Filmes e séries » BB-8, Star Wars e o plano da Disney e Sphero para dominar o Natal

BB-8, Star Wars e o plano da Disney e Sphero para dominar o Natal

Criado pela Sphero, o simpático robô BB-8 que conquistou os fãs de Star Wars tem tudo para ser a sensação no Natal — dentro e fora dos cinemas

5 anos atrás

bb-8

A melhor coisa que pode ter acontecido para a franquia Star Wars, quer os fanboys gostem ou não foi a Disney ter comprado a LucasArts. Embora George Lucas amasse o que criou ele não estava mais preocupado em impressionar, em fazer magia. A trilogia nova foi criada mais para tentar tapar buracos na história (e acabou criando outros), demonstrar CGIs e claro, fazer dinheiro. Não havia paixão, era tudo muito burocrático.

Precisou a Disney, JJ Abrams e um teaser de menos de dois minutos para mostrar que é possível fazer maravilhas respeitando o material original e mais importante com entusiasmos, criando elementos reais, apresentando novos personagens e trazendo nossos velhos conhecidos de volta. E importante, não atochando o filme de efeitos especiais. O melhor exemplo é o BB-8, o simpático robozinho que é cheio de quase tanto carisma quanto R2-D2.

Todo mundo pensou “bah, um robô-bola é impossível, isso é CGI”. Sua curiosa movimentação nos fez acreditar nisso. E então durante a Star Wars Celebration isso acontece:

Inside the Magic — BB-8 droid from The Force Awakens rolls out on stage at Star Wars Celebration Anaheim

A verdade é que tanto Abrams sabe o quanto efeitos práticos são importantes num set de filmagens. Isso é algo que Lucas entendia até certo ponto: enquanto que no Episódio I o Yoda ainda era um boneco, nos filmes seguintes ele virou CGI. Por outro lado nunca foi cogitada a possibilidade de tornar R2 um elemento de computação gráfica. Com o BB-8 rola algo parecido: seria muito mais fácil apelar para uma versão digital do robô, mas um módulo real facilita e muito o trabalho dos atores. Além disso Abrams não é de todo bobo: ele sabe que para reconquistar os fãs é preciso apostar no que fez sucesso, e ter um robô real é melhor do que um digital, até na questão do visual.

É aí que a Disney entra. Nós já vimos antes (aqui, aqui e aqui) que a divisão de pesquisa investe pesado em pesquisas sérias sobre robótica, mas desta vez era preciso algo que a Disney Research não possuía nas mãos. A solução é o programa Disney Accelerator, que injeta grana em pesquisadores e startups dispostos a avançar a tecnologia que possa ser utilizada pelos estúdios. Desenvolvimento de efeitos práticos por exemplo. O processo de seleção dura três meses e as escolhidas recebem um aporte de US$ 120 mil, além da supervisão direta de um executivo da Disney.

O CEO Bob Iger se atentou na Sphero, uma pequena empresa que tem fabricado brinquedos inteligentes que podem ser controlados por smartphones ou tablets. O mais popular deles é a Sphero 2.0, uma bolinha-robô.

Go Sphero — Meet Sphero 2.0

A startup foi selecionada para o programa e o próprio Iger a colocou sob sua asa, já atento no que ela poderia fazer. Ele cresceu os olhos no que aquela tecnologia era capaz e com isso o BB-8 começou a tomar forma. As especificações do Sphero 2.0 são basicamente as mesmas do droide, mas isso só diz respeito à parte inferior.

sphero

Quanto à cabeça do robô há apenas especulações, mas a maior probabilidade é que ele é fixado por um conjunto de ímãs e servomotores e muito provavelmente conta com um giroscópio próprio, para saber para que lado olhar. Caso contrário aconteceria isso aqui, com a cabeça girando como louca para todas as direções. Além disso ela se move mesmo com o robô parado obviamente por ser controlado de forma autônoma, assim seriam dois robôs agindo como um. Alguns andaram tecendo teorias de que a cabeça está vazia e só possuiria os ímãs, mas não creio que seja o caso.

Claro, com o filme chegando a tempo do Natal a Disney não seria tão boba a ponto de perder a oportunidade de ganhar ainda mais dinheiro (projeções iniciais já apontam que SW: Episódio VII pode chegar a fazer uma bilheteria de US$ 2 bilhões): ela e a Sphero já possuem um business plan para transformar o robozinho numa sensação: ambos já estão trabalhando numa linha de brinquedos temáticos e muito provavelmente veremos alguns inspirados no BB-8 nas lojas no fim do ano. Um desses em tamanho natural é algo que qualquer um, criança ou adulto gostaria de ter em casa.

 

Falando em brinquedos, que tal conferir estes posts em nossos blogs co-irmãos?

relacionados


Comentários