Meio Bit » Filmes e séries » Invasão japonesa na Netflix Brasil pode comprometer Crunchyroll?

Invasão japonesa na Netflix Brasil pode comprometer Crunchyroll?

Segundo rumores, a Netflix Brasil poderia receber em seu catálogo os tokusatsus e animês distribuídos pela Sato Company. Entre eles, clássicos como Jaspion, Changeman e Street Fighter II Victory!

5 anos e meio atrás

Laguna_Choushinsei_Flashman_by_blakehunter

Choushinsei Flashman pode estar à caminho da Netflix (crédito: Modo Meu)

Quem cresceu assistindo à finada Rede Manchete deve ter se deparado com os vários tokusatsus, seriados de heróis japoneses, nas manhãs e tardes da emissora de televisão aberta. National Kid, Ultraman e Spectreman são alguns dos primeiros tokusatsus que fizeram sucesso na Manchete.

Um outro tipo de tokusatsu que fez bastante sucesso no Brasil foram os Super Sentai, que como o próprio nome denuncia, são quintetos coloridos que unem forças para combater os kaiju (monstros enormes). Na Manchete, os três únicos Super Sentai exibidos foram o Dengeki Sentai Changeman, Choushinsei Flashman e Hikari Sentai Maskman. Os mais novos conhecem a versão Saban deles, os Power Rangers. E/ou o jogo Chroma Squad.

Um terceiro tipo de tokusatsu da Toei Company foram os Metal Hero. Na Manchete foram exibidos os Metal Hero Kyojuu Tokusou Jaspion, Jikuu Senshi Spielvan, Kidou Keiji Jiban, Sekai Ninja Sen Jiraiya, Tokkei Winspector e Tokkyuu Shirei Solbrain. Ainda temos os motoqueiros mascarados Kamen Rider Black e Kamen Rider Black RX. Isso sem contar o tokusatsu favorito do tio Laguna Cybercop, que não foi produzido pela Toei mas posso classificar como algo entre Metal Hero e Super Sentai.

Pois bem, há a possibilidade de todos esses títulos estarem disponíveis em breve na Netflix Brasil.

Laguna_Sekai_Ninja_Sen_Jiraiya

Sekai Ninja Sen Jiraiya (crédito: Modo Meu)

Segundo o JBox, a Sato Company teria adiantado a eles uma lista que inclui na Netflix Brasil vários desses tokusatsus clássicos. Bom lembrar que a Sato Company é a distribuidora de vários conteúdos japoneses que foram parar na Rede Manchete.

No momento, o único título disponível da Sato na Netflix é uma nova versão de Doraemon, animê considerado como o Turma da Mônica japonês. Uma versão antiga de Doraemon foi exibida na Manchete nos anos 1990.

A prioridade para estreia na Netflix Brasil seria daqueles tokusatsus que já sairam em DVD pela Focus Filmes: Jaspion, Changeman, Flashman, Jiban, o maltratado Jiraiya e National Kid. Outro com grande chance de vir na primeira leva é Kamen Rider Black e o inédito Garo. Com relação às clássicas dublagens brasileiras, infelizmente não seria possível que todos os episódios dessas séries tenham tal opção. Tanto por problemas técnicos quanto por questões de licenciamento.

Laguna_Street_Fighter_II_Victory_poster

As manhãs de sábado no SBT eram incríveis (crédito: Videocast Intolerável)

A invasão japonesa não seria limitada aos tokusatsus distribuidos pela distribuidora do senhor Nelson Sato: segundo a mesma fonte, animês como o clássico do SBT Street Fighter II Victory (era distribuído pela Sony Pictures), Devil May Cry e Bayonetta: Bloody Fate estariam à caminho da Netflix brasileira!

Só tem algo estranho nessa história toda. Não, não estou duvidando tanto da fonte da notícia e sim estranhando o silêncio de um dos concorrentes da Netflix, o Crunchyroll Brasil. Como possui contato direto com a Toei Animation, consegue a transmissão simultânea e até mesmo os episódios antigos dos animês que estão em seu catálogo de forma gradual.

Exemplo: o serviço possui praticamente todos os episódios de One Piece, Bleach e Naruto, três títulos bastante populares e com mais de 300 episódios cada. Alguns ainda em exibição, sendo que os de transmissão simultânea vieram primeiro ao catálogo e os episódios antigos foram sendo adicionados gradualmente.

Recentemente, até para promover o Saint Seiya Soul of Gold, o animê clássico d'Os Cavaleiros do Zodíaco chegou ao Crunchyroll. O esquisito é que veio somente com a dublagem brasileira. Não que eu reclame do trabalho da finada Álamo, mas teria sido interessante manter a opção de áudio original pois animês dublados em português são a exceção no Crunchyroll, não a regra.

O tio Laguna acha irônico que o Crunchyroll possua doramas e animês relativamente populares mas não invista em tokusatsus, que um dia foram uma febre televisiva no Brasil. É como se o Crunchyroll, mesmo em seu terceiro ano de Brasil, ainda estivesse engessado, se restringindo aos animês e doramas mais recentes.

Com a adição dos tokusatsus e animês clássicos trazidos pela Sato Company acho que a Netflix estaria fazendo um trabalho melhor para popularizar a cultura televisiva japonesa no Brasil que o Crunchyroll, que estaria se tornando um serviço de nicho. Espero que o panorama mude: ainda acho que os US$ 5 mensais pelo Crunchyroll valem a pena. Mas por quanto tempo?

Sobre o gratuito Daisuki, o serviço de streaming do Anime Consortium Japan só serve como alternativa ao Crunchyroll para assistir ao mais recente episódio dos Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro. Nicho do nicho, ainda tem muito a trilhar.

Fonte: Info Animation, dica do Cérebro Reverso.

relacionados


Comentários