Meio Bit » Internet » Aos 4 anos, Google+ “vai muito bem”, diz executivo do Google

Aos 4 anos, Google+ “vai muito bem”, diz executivo do Google

Ao completar quatro anos de existência, executivo do Google faz uma avaliação positiva da rede social da empresa e diz estar ansioso pelos próximos quatro.

5 anos atrás

Google Plus

Hoje em dia, está cada vez mais complicado escrever sobre tecnologia sem que os textos provoquem, nos usuários, amor ou ódio. Exemplos: Android × iOS, Chrome × Firefox, Windows × Linux × OS X, WhatsApp × Telegram, biscoito × bolacha… Obviamente que as redes sociais não ficam de fora da confusão e, desde a época do Orkut, fãs se estapeiam pelos comentários para provar que a sua rede preferida é melhor rede social do amiguinho é pior. Claro, mas fácil falar mal do “concorrente” do que exaltar as qualidades do que você gosta.

O Google+, obviamente, também não fica fora da batalha. Super comum ver a piadinha “ninguém usa aquilo” ou “cidade fantasma”. Mas, assim como todos os itens mencionados por mim até agora, a experiência do usuário tende a ser única e, assim, fica complicado fazer comparações justas. A minha experiência no Facebook, talvez por ter muitos parentes por lá, é quase catastrófica. No Google+, tenho muito conteúdo para consumir e uma excelente interação com as pessoas, mas meus amigos praticamente não estão por lá. Já o Twitter… ah, o Twitter. Um amor em forma de rede social. Na minha opinião baseada na minha experiência, é claro.

Apesar de todo o mimimi de boa parte dos usuários que não utilizam o Google+, como disse anteriormente, o serviço é muito bom. Muito bom principalmente se, assim como eu, você for fã do Google (não fanboy, o que é diferente) e utilizar muito muitos produtos e serviços da empresa. Essencialmente, a rede social da gigante das buscas se tornou uma grande concentração das pessoas pessoas que gostam da empresa e querem compartilhar informações sobre ela. Isso faz, do Google+, um sucesso? Era isso que o Google esperava ao lançar a rede social? Acho que não. Mas… e para o Google?

Ontem, Yonatan Zunger, Chief Architect do Google+, fez uma avaliação dos quatro anos da rede social da empresa. Resumindo de forma bem resumida, para ele, o Google+ vai muito bem, obrigado. Abaixo, a opinião de Zunger traduzida de forma literalmente literal:

Estes quatro anos têm sido incríveis: vi o projeto crescer a partir de uma ideia louca de uma gigante e próspera comunidade, que acabou se espalhando pelo mundo. Tive tantas conversas sobre tantos assuntos e aprendi tanto no processo que não sou capaz de descrever. Aprendi a escrever de forma muito mais eficiente. Aprendi, também, o que é ter uma conversa real sobre assuntos incrivelmente sensíveis em que as pessoas, no entanto, são capazes de tratar uns aos outros com respeito e seriedade. Fiz um grupo incrível de amigos, pessoas que amo e confio e com as quais me comunico todos os dias. Até encontrei o amor da minha vida, a minha brilhante e amada mulher, através do serviço.

 

Então, olhando para trás e vendo o que construímos nos últimos quatro anos, posso dizer: o Google+ está indo muito bem. Estou excepcionalmente feliz por ter conhecido todos vocês, e ter tido algum papel na construção desta comunidade que criamos. Estou ansioso para ver onde chegaremos nos próximos quatro anos!”

Como já relatei, a minha experiência no Google+ é semelhante à do Zunger (com exceção da parte de encontrar a amada, mas talvez isso ocorra nos próximos quatro anos). Conheci pessoas incríveis que têm gostos semelhantes aos meus e travei discussões extremamente positivas (algumas nem tanto) sobre os produtos e serviços do Google.

Quando o Vic Gundotra saiu do Google, confesso que temi pelo futuro do serviço. Afinal, ele era o “pai” do Google+. Contudo, o serviço parece não ter perdido o rumo e continua seguindo o seu caminho, talvez um pouquinho mais lentamente do que a empresa e seus usuários mais apaixonados gostariam.

Mesmo que atrasado, só posso parabenizar o Google+ e deixar registrado, aqui, o meu agradecimento por tudo o que a rede social me proporcionou. E que os próximos quatro anos sejam, para os usuários e o serviço, ainda melhores.

relacionados


Comentários