Meio Bit » Hardware e periféricos » Novo Google Glass já estaria em fase de testes

Novo Google Glass já estaria em fase de testes

Fontes indicam que segunda versão do Google Glass está sendo testada por desenvovledores e empresas; Google não quer mais soltá-lo na mão de qualquer um

5 anos atrás

google-glass

Dois anos depois de lançado oficialmente, o Google Glass não conseguiu convencer a grande massa de usuários e desenvolvedores de que ele é um gadget essencial para nossas vidas. Dado o baixo interesse por parte dos desenvolvedores e o pouco retorno significativo em projetos, Mountain View mudou tudo e o tornou um projeto mais reservado, pondo um fim ao programa Explorer.

Agora, segundo o Wall Street Journal o Google começou a despachar unidades da versão 2.0 dos óculos espertos, mas desta vez não é qualquer um que colocará suas mãos em um exemplar.

Dada a imagem ruim associada ao Glass por conta da decisão de permitir que qualquer com US$ 1,5 mil no bolso pudesse comprar um, o Google desta vez o limitará a uso exclusivamente por empresas e desenvolvedores. O gadget passou por mudanças profundas graças à mudança de equipe responsável: saiu o pessoal do Google X, entrou uma divisão própria liderada pelo “pai do iPod” Tony Fadell.

Uma das principais foi a substituição do processador da Texas Instruments, que possuía a fama de ser comilão por um da Intel, que já sabemos vem se especializando no desenvolvimento de chips para o mercado de wearables, presentes em produtos como o Edison. Outras mudanças são um display maior e mais fino com ajuste vertical, melhor conectividade Wi-Fi, suporte a bateria externa e mais importante, a dispensa de uma armação própria: ele agora pode ser diretamente acoplado em um óculos normal ou um equipamentos de proteção industriais. Claro, não é como se o Google fosse abrir mão de excelentes parcerias, mas se você já usa óculos não será obrigado a comprar outra armação.

As informações a respeito do novo Glass são deveras escassas porque o Google impôs um NDA a seus parceiros. Mas o mais interessante aqui é notar que a companhia pretende se concentrar em usuários que podem de fato agregar à plataforma com produtos e serviços, e não simplesmente soltar na mão de qualquer usuário. Claro que tivemos casos de uso diversos e bem interessantes, mas para Mountain View isso não é o bastante para criar um ecossistema com hardware e aplicativos finais.

O Google ainda tem planos de disponibilizar uma versão para consumidores, mas esta deixou de ser uma prioridade e agora os esforços se concentrarão em desenvolver novas soluções e apps. Considerando o cenário atual, com dispositivos de ponta como o Microsoft HoloLens não convém colocar o carro na frente dos bois mais uma vez, é preciso cautela.

Fonte: The Wall Street Journal (paywall) via Ars Technica.

relacionados


Comentários