Meio Bit » Engenharia » Cientistas da Pior Coréia desenvolvem método para derrubar drones com som

Cientistas da Pior Coréia desenvolvem método para derrubar drones com som

Derrubar drones no grito não é pra qualquer um mas isso vai mudar. Um grupo de pesquisadores da Pior Coréia descobriu que é possível usar sons muito altos em frequências específicas para desestabilizar e até inutilizar drones.

5 anos atrás

Black-bolt_Vulcan_7

Não deixa de ser irônico que o drones, que em inglês significa zangões, hoje sejam incômodos como enxames de mosquitos. No momento em que até o Ponto Frio vende drones, não é de se espantar que estejam por todos os cantos, e causando incômodos.

Outro dia helicópteros do serviço florestal não conseguiram apagar um incêndio pois um bando de idiotas encheu a área de drones para tirar fotos incríveis postar no Instagram e ganhar aqueles deliciosos Internet Points.

Em alguns casos como prisões e a piscina na cobertura da Luciana Vendramini é imperativo impedir o acesso de drones, mas sair atirando não é uma boa. Na maioria dos lugares é inclusive ilegal.

Agora um grupo de cientistas do Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coréia publicou um paper com uma alternativa interessante. Em vez de estudar métodos esotéricos de hackeamento eletrodigital computadorizado quântico dos drones, se focaram nos componentes. Um dos essenciais são os giroscópios, que mantém o bicho estabilizado.

Celulares, drones domésticos e similares usam giroscópios em estado sólido (não que os outros sejam líquidos) produzidos com tecnologia MEMS — Micro-Electro-Mechanical Systems. São nanomáquinas, e lindos. Veja um giroscópio ST LYPR540AH :

MeunHawo54qPRY5S

Lindo, né? O do iPhone 4 é menor ainda:

sofxX4ltBg6wbTyO

Fonte e mais microfotos incríveis.

Coisinhas frágeis, né? Parte do funcionamento delas exige que vibrem muito, como a gaveta da Malory Archer. Se essa vibração for afetada, temos problemas.

O que os pesquisadores fizeram foi determinar se sons muito altos na frequência correta conseguiam interferir nos giroscópios a ponto de em alguns casos derrubar o drone.

Nos testes conseguiram um alcance de 30 metros, usando alto-falantes comerciais e gerando sons nas frequências de ressonância dos giroscópios, fazendo os bichos vibrarem mais e mais. Ressonância é um problema real, ignorado pelos projetistas da ponte do Estreito de Tacoma, com consequências clássicas:

Tony C — Tacoma Narrows Bridge Collapse "Gallopin' Gertie"

As possibilidades dessa pesquisa são muitas, podemos imaginar armas anti-drones totalmente não-letais (exceto para o drone e quem estiver debaixo dele), e até escudos ultrassônicos em áreas sensíveis, impedindo que drones se aproximem.

Fonte: Defense Systems.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários