Meio Bit » Fotografia » Robert Capa e a polêmica das fotos do Dia D

Robert Capa e a polêmica das fotos do Dia D

Crítico norte-americano de fotografia levanta a teoria de que Robert Capa teria amarelado no Dia D. Veja como começou essa polêmica.

5 anos atrás

Angleterre. Robert CAPA.photographer on a destroyer during the ship arrivals in French beach for landings and liberation of Fance.

Estava navegando hoje pela net e sites de fotografia quando me deparei com o texto de Francisco Quinteiro Pires para a ZUM. Ele me abalou profundamente, pois versa sobre a mais nova polêmica envolvendo um dos fotógrafos que mais admiro na história da fotografia. Robert Capa foi o que chamamos hoje de fotógrafo de guerra.

Esteve com as tropas americanas no desembarque em Omaha Beach em 6 de junho de 1944, cobriu a Guerra Civil Espanhola (1936), a Guerra Civil Chinesa, e morreu em 25 de maio 1954 ao cobrir a Guerra da Indochina. Ele pisou sobre uma mina terrestre. Reza a lenda de que ele foi encontrado com suas pernas dilaceradas, mas a câmera fotográfica ainda se encontrava em suas mãos.

FRANCE. Normandy. June 6th, 1944. US troops assault Omaha Beach during the D-Day landings.

A polêmica atual (visto que o fotógrafo já foi alvo de outras), é a acusação de que a história contada nos últimos 70 anos sobre as fotos feitas no Dia D é uma farsa. Explico. Em 1944 Robert Capa estava com as tropas que iriam desembarcar na praia de Omaha. A história oficial conta que o fotógrafo fez 106 fotos neste dia.

Porém, no dia seguinte, um acidente no laboratório fotográfico da revista Life na hora da revelação destes filmes teria destruído a maior parte deste material, sendo que apenas 11 fotos escaparam. Depois de revelado, o filme foi exposto a uma temperatura maior do que a recomendada, o que fez a emulsão do filme derreter deixando as fotos opacas. Mesmo sendo uma grande tragédia (quem assistiu ao começo do filme O Resgate do Soldado Ryan vai ter uma noção da adrenalina do desembarque), as fotos que escaparam ilesas se tornaram icônicas e correram o mundo todo.

FRANCE. Normandy. June 6th, 1944. US troops assault Omaha Beach during the D-Day landings.

Agora vem a polêmica. A. D. Coleman, crítico de fotografia americano, e o fotógrafo J. Ross Baughman levantaram suspeitas de que a história oficial é uma farsa. Baughman chamou a atenção para o causo alegando que em 40 anos de carreira nunca presenciou um negativo que tenha sido derretido assumir um aspecto turvo na superfície.

Já Coleman afirma ter replicado em um quarto escuro o mesmo acidente do laboratório da revista (mas, utilizando um filme diferente) e que os filmes não ficaram no mesmo estado. Segundo ele, o aspecto dos filmes indica uma revelação correta, mas que as fotos foram danificadas na hora da exposição. A sua teoria afirma que Robert Capa teve um ataque de pânico atípico durante o desembarque, usou erroneamente seu equipamento fotográfico, causou a superexposição do filme e correu do campo de batalha depois de trinta minutos ou menos. Embora tenha descrito sua teoria em uma série de artigos em seu blog, o que temos são análises de algumas pessoas, mas nenhuma testemunha ou fato comprovado.

FRANCE. Normandy. June 6th, 1944. US troops assault Omaha Beach during the D-Day landings.

Pode parecer uma discussão sem sentido sobre um fato que ocorreu há 70 anos. Mas, é uma mancha na reputação de um fotógrafo que cobriu conflitos violentíssimos com lentes normais (50 mm), que cunhou a frase se sua foto não está suficientemente boa é porque você não chegou suficientemente perto e que praticamente criou o dogma de que o valor de uma foto está sujeito à coragem de seu autor de chegar e permanecer na linha de frente.

Recomento a todos que se interessaram que leiam o texto de Francisco Quinteiro Pires. Muita informação sobre o tema.

relacionados


Comentários